Tarefa é selecionado para participar do Startup Chile

Deixar um comentário

O site Tarefa, ferramenta de apoio acadêmico, foi selecionado para o programa de aceleração da Startup Chile. A empresa, que conecta estudantes a professores de matemática em toda a América Latina, receberá cerca de US$ 35 mil em investimentos do governo chileno.

tarefa
Startup conecta estudantes com dúvidas a professores de matemática. Foto: iStock, Getty Images

Como funciona o Tarefa

Tarefa é um site que conecta alunos de toda a América Latina com professores de matemática 24 horas por dia, sete dias por semana. O site tira dúvidas dos alunos respondendo perguntas e explicando equações.

Para utilizar o serviço do Tarefa, basta acessar a plataforma e cadastrar a dúvida. Entre as disciplinas, estão matemática financeira, álgebra, fatoração e equações. Depois de 10 minutos, um dos professores credenciados responde à questão.

Para inovar ainda mais, o Tarefa está apostando em um novo modelo de negócio, criando uma ferramenta personalizada para escolas e cursinhos. A plataforma está negociando com instituições para fornecer a tecnologia que criou, enquanto a escola fornece seus professores para interagirem com os alunos.

“Já estamos em processo de negociação com algumas escolas e acreditamos que terá uma grande aceitação, pois é uma proposta diferenciada de auxílio aos alunos enquanto estão em casa realizando as tarefas”, afirma Diego Rios, co-fundador do Tarefa.

A startup ainda busca financiamento e subsídios para responder perguntas de alunos da rede pública de ensino ou pessoas de baixa renda.

Tarefa no Startup Chile

O Tarefa é uma startup de Bogotá que estava sendo acelerada no Brasil desde janeiro de 2015. Na cidade de Porto Alegre, através do processo de aceleração corporativa uMov.me Labs com a Estarte.Me, em conjunto com a WOW, recebeu investimento de R$ 30 mil.

A empresa foi selecionada para o Startup Chile ao lado de outras 90 companhias de 25 países, que concorreram com mais de 1,6 mil startups. Na 13ª edição do evento, os países com maior número de startups partipantes são Chile (30%), Estados Unidos (20%), Argentina (6%), Brasil (6%) e Índia (6%).

Para incentivar o desenvolvimento econômico no Chile e atrair empreendedores com potencial, o programa aposta em startups do mundo todo. O governo oferece uma quantia em dinheiro sem adquirir participação acionária. Além disso, os empreendedores recebem visto de um ano para trabalhar no Chile, uma vez que são obrigados a permanecer no país por pelo menos seis meses.

Selecionando projetos de diferentes segmentos, o programa governamental, promovido pela Corporação de Fomento da Produção (Corfo), atrai empreendedores para um único local: todas as startups apoiadas ficam localizadas em Santiago, capital do país.

Além do incentivo financeiro, as startups participantes recebem apoio técnico e de relações, contando com mentorias, rede de contatos e espaços de co-working. Até hoje, o programa fomentou projetos de mais de mil empreendedores, atraindo pessoas formadas por instituições renomadas – como Harvard e MIT – para o processo seletivo.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.

Matérias relacionadas