Saiba como entrar no mercado de cerveja artesanal

Deixar um comentário

Apesar de não ser mais apenas uma tendência recente, o consumo de cerveja artesanal ainda tem muito para crescer, especialmente na América Latina. O boom desse mercado começou no final da década passada, mas o consumo desse tipo de produto ainda é microscópico se comparado ao mercado geral de cerveja. Ou seja, a área ainda tem muito campo para crescer.

Um exemplo: apenas 0,16% da cerveja consumida no México é artesanal (dados de 2014, da Arcemex); no Brasil, 0,5% (dados de 2012 da Associação Brasileira de Bebidas. Já mercados cervejeiros mais maduros, como EUA e Chile, o número se aproxima dos 10%.

cerveja artesanal
Mesmo com o recente boom dos últimos anos, o mercado de cerveja artesanal ainda tem muito para crescer. Foto: iStock, Getty Images

O que é cerveja artesanal

Não existe uma definição universal, mas, via de regra, cerveja artesanal é aquela produzida em micro e pequenas cervejarias (com produção anual de até poucos milhões de barris), independentes (não ligadas a outros negócios) e tradicionais (com alta concentração de malte em sua composição).

Vale lembrar que nem toda cerveja artesanal é produzida realmente de forma artesanal, uma vez que mesmo microcervejarias utilizam máquinas durante a produção. Mas a bebida desse tipo geralmente tem, na sua fabricação, uma maior preocupação com aromas, gostos e até mesmo rótulos e nomes.

Outra característica comum às cervejas artesanais é que elas são mais complexas e exclusivas e estão disponíveis em uma maior quantidade de tipos e sabores. Há cervejas que misturam amendoim com trigo, trazem uma pitada de chocolate, são mais encorpadas, mais escuras, mais avermelhadas, etc. Em suma, são diferenciadas em relação às principais cervejas do mercado.

Iniciando no mercado

Produzir uma cerveja artesanal é complexo, mas pode ser feito na cozinha de sua casa. Se você não sabe nada sobre o assunto, o primeiro passo é conhecer os ingredientes. A origem da água, por exemplo, faz toda a diferença. Da mesma forma, há várias opções de malte, lúpulo, leveduras, açúcares e cereais não maltados (como aveia), e cada uma delas resulta em um tipo e gosto diferente de cerveja.

O próximo passo é conhecer o processo de produção, que pode levar até um mês,  da brassagem até chegar no engarrafamento, passando por etapas como filtragem do mosto, fervura, resfriamento e aeração, fermentação, maturação e envase.

Esse longo processo pode ser difícil de assimilar. Felizmente, há inúmeros vídeos online que ensinam a produzir etapa por etapa (como esse). Também aconselha-se procurar a associação de cervejeiros mais próxima para buscar conhecimento, orientação e dicas de cursos.

Cerveja artesanal é um negócio

Produzir a própria cerveja chega a ser um sonho para muitos. Mas se você deseja fazer isso profissionalmente, é preciso tratar o processo como qualquer outro negócio, e não como um hobby.

Um fator essencial para o negócio da cerveja artesanal é a distribuição. Como ela chegará ao público? Você entregará para amigos? Tentará vender em um pequeno mercado ou em um bar? Utilizará distribuidores especializados? Antes de pensar em produzir, saiba qual será o destino do produto e como ele chegará lá.

Outro foco de atenção é a administração do negócio. Quanto você poderá produzir por mês? A que preço deve vender para cobrir custos e ainda ter lucro? Como será feito o marketing? Sem atenção a estes – e muitos outros – detalhes, é melhor produzir cerveja apenas para consumo próprio.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.

Comentários

  1. JoaoCarlos dice:

    Já visitei diversas cidades pequenas com lugares que fabricam suas próprias cervejas e o resultado é sempre muito bom. Com certeza, um nicho com muito potencial!