É hora de contratar um auditor interno? 4 dicas para não errar

Deixar um comentário

Você percebe um descontrole nas finanças, mas não consegue diagnosticar o problema. A empresa parece estar gastando mais do que deveria, só que o local do furo é uma incógnita. A solução pode estar na auditoria. Ao escrutinar todos os processos da companhia, o auditor interno identifica os gargalos e oferece alternativas para uma gestão eficiente.

Mas você sabe o que levar em consideração na hora de contratar esse profissional? Neste artigo, vamos explicar os principais aspectos que devem ser observados para realizar uma auditoria interna. Boa leitura!

auditor interno
Conhecer as referências do auditor é importante para conhecer seu potencial. Foto: iStock, Getty Images

Por que contratar um auditor interno

Viver a rotina da empresa pode dificultar a tarefa de encontrar as falhas na gestão. Isso porque você está inserido no processo: é parte do problema. Muitas vezes, apenas um olhar externo consegue identificar erros de gerenciamento, por mais óbvios que eles sejam.

E é justamente essa a função do auditor interno. A missão desses profissionais é cavar fundo para desmembrar todo o cenário financeiro da empresa, com base em documentos como registros contábeis, relatórios do fluxo de caixa e políticas de controle.

A auditoria é prática comum em empresas de capital aberto, mas também pode ser útil às pequenas empresas, principalmente quando o empreendedor é estreante. Entre as principais atribuições de uma auditoria, é possível citar:

– Avaliar a eficácia dos controles contábeis, financeiros e operacionais

– Medir a extensão do cumprimento dos procedimentos obrigatórios

– Avaliar o grau de confiança das informações e dados contábeis preparados pela empresa

– Aferir a qualidade da execução das tarefas

– Avaliar os riscos estratégicos da empresa.

4 dicas para contratar um auditor interno

Confira, a seguir, quatro dicas para não errar na contratação do auditor interno:

1. Estude o mercado

O primeiro passo é pesquisar o mercado de auditores, em busca da opção com o melhor custo-benefício para a sua empresa. Faça orçamentos, estude propostas, entenda o que cada um pode oferecer e conheça suas respectivas expertises. Se você não estudar o mercado com atenção, poderá gastar dinheiro à toa.

Encontrou a melhor alternativa? Agora é hora de avaliar as referências desse profissional. Procure conhecer sua formação e converse com antigos clientes para descobrir se eles recomendam os serviços do auditor interno.

3. Observe a área de atuação

Fique atento à área de atuação do auditor. Se possível, dê preferência para auditores que já trabalharam com empresas do seu porte e da sua área. Muitas vezes, um auditor especializado em outra área levar mais tempo e é menos eficaz no trabalho.

4. Garanta o sigilo

É fundamental que o auditor se comprometa a guardar sigilo sobre as informações que apurar durante a auditoria. Essa obrigação fica descrita em contrato e tem força de lei, mas, mesmo assim, vale a pena ficar atento e conversar com o auditor para perceber suas reais intenções. É possível confiar nele?

Por fim, lembre-se que a auditoria interna deve servir como um processo de aprendizado para os empresários. Ela permite aprender novas técnicas e melhorar a rotina de trabalho. Quanto mais você extrair dos auditores, mais perto da eficiência a sua empresa ficará.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas