Conheça a linha de crédito imobiliário da Caixa para pessoa jurídica

Deixar um comentário

A Caixa Econômica Federal lançou, no início do mês de agosto, uma linha de crédito imobiliário voltado para pessoas jurídicas. Os recursos serão providos através do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), e vão beneficiar construtoras e incorporadoras que produzem empreendimentos com unidades residenciais. Saiba mais sobre o programa abaixo.

Como funciona o crédito imobiliário para pessoas jurídicas

A nova linha de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal vai beneficiar empresas da área da construção civil, que produzem empreendimentos residenciais. O valor financiado é de até R$ 300 mil, equivalente a até 80% do custo da obra, limitado a no máximo 50% do valor total de vendas. A taxa de juros é de a partir de 8,5% ao ano.

De acordo com o vice-presidente de habitação da Caixa, Teotônio Resende, o valor total disponibilizado será de R$ 1 bilhão. Resende também afirmou que o lançamento dessa linha de crédito reforça o foco da Caixa em habitação voltada para operações com recursos do FGTS e do programa Minha Casa Minha Vida.

Empresário assinando documentos referentes ao crédito imobiliário.
Linha de crédito imobiliário da Caixa prevê financiamentos de até R$ 300 mil para construtoras de empreendimentos. Foto: iStock, Getty Images

Para participar, as empresas interessadas devem apresentar o projeto de engenharia, além de documentação para análise de de risco. A lista de documentos exigidos está disponível no site da Caixa, seção de downloads, em “Documentos para Avaliação de Crédito – Empresas da Construção Civil”. Deve haver a comprovação da comercialização de no mínimo 30% das unidades de empreendimento até a data de contratação.

Linha de crédito alternativa

A Caixa Econômica Federal disponibiliza outra linha de crédito imobiliário para a construção de empreendimentos com unidades residenciais. O vice-presidente da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação, Wilson Rascovit, explica que a linha de crédito pode ser utilizada por empresas que cumprirem as exigências cadastrais – especialmente no que se refere à capacidade de pagamento – para financiamento ou construção.

Rascovit explica que o financiamento é feito de acordo com a capacidade de pagamento da empresa ou com a viabilidade do projeto do investimento. A garantia do financiamento é alienação fiduciária do imóvel. “Isso significa que o imóvel é dado como garantia de pagamento do financiamento. Enquanto o financiamento não é quitado, a empresa tem direito de uso do imóvel”, conta.

O valor varia conforme o estado. Em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Distrito Federal, é de até R$ 750 mil. Nos demais estados, o valor não pode ultrapassar os R$ 650 mil. A principal vantagem, de acordo com Rascovit, diz respeito à possibilidade de uso imediato do imóvel. “Além disso, pode ter valor de taxas menores do que outras oferecidas pelo mercado financeiro”, finaliza.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.