Veja como calcular o preço de venda em 3 etapas

Deixar um comentário

Como calcular o preço de venda para ter um produto competitivo? Conhecer o básico da teoria de formação de preço de venda é fundamental, mas muitos pequenos empresários tendem a subestimar essa questão e acabam cometendo sérios equívocos, conforme explica Marcus Rossetti, CEO da consultoria comercial Commsulting.

A seguir, confira três etapas que devem ser seguidas na hora de fazer esse cálculo.

3 etapas para calcular o preço de venda

 

1. Calcule custos

Uma parte importante do cálculo do preço de venda de um produto são os custos que a empresa tem para produzi-lo. Nesse momento, muitos erram por não avaliar as despesas corretamente.

“Sempre lembramos dos chamados custos variáveis, como o valor de aquisição de matéria-prima, por exemplo, pois são valores difíceis de serem esquecidos e fáceis de serem calculados. O problema começa na inclusão dos custos fixos, como aluguel das instalações, conta de luz, etc”, diz Rossetti.

“Um cálculo adequado de rateio de custos fixos depende de uma boa previsão de vendas e de um planejamento orçamentário, duas coisas que pequenas empresas não costumam fazer bem, e nesse momento o lucro vira prejuízo e o empreendedor não sabe como isso aconteceu”, complementa.

Por outro lado, Álvaro Votta, proprietário da Votta Consultoria Empresarial, afirma que os custos fixos não devem ser divididos de forma equitativa entre todos os produtos da empresa. “A pessoa pega o preço do aluguel e da luz e divide pelo que a empresa fatura, isso acaba sobrecarregando os produtos de maior volume de venda“, adverte.

como calcular preço de venda
Saber calcular o preço de venda de um produto é essencial para que a empresa obtenha os melhores resultados. Foto: iStock, Getty Images

2. Pesquise a  concorrência

Nenhuma empresa vive em uma bolha. Sempre é importante ficar de olho na concorrência para não vender um produto por um preço muito acima do vizinho (perda de competitividade), nem muito abaixo (perda de faturamento).

Votta salienta que a análise do preço da concorrência deve ser feita de forma técnica e sem supervalorizar o próprio produto. “Automóvel deve ser comparado com um automóvel do mesmo nível, e a comparação tem que ser feita do ponto de vista técnico“, diz Votta. “Se o seu produto tiver menos especificações técnicas, talvez o seu preço tenha que ser menor que o do concorrente”.

3. Avalie resultados

A análise das vendas da empresa é essencial para calcular o preço de venda de um produto e saber se ele é o mais competitivo possível“Em geral, você tem 20% dos itens que representam 80% do faturamento. Só que naqueles 80% de itens que vendem pouco, temos vários que poderiam ser campeões de vendas físicas se o preço fosse recalculado”, afirma Votta.

A empresa sempre deve buscar o preço de gatilho, que é aquele que faz o produto começar a vender bem. “Tem item que não vende nada e deveria ir baixando até chegar no preço de gatilho. O que dá resultado é a soma de todos os produtos. Então, pode ora baixar, mas também exercitar o aumento do produto quando tem muita vantagem em relação à concorrência”, afirma Votta.

Ao subir o preço, só cuide para não atingir o gatilho máximo, que é quando o volume de vendas começa a cair.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.