Conheça o segredo do crescimento da Ricardo Eletro

Deixar um comentário

De vendedor de mexerica a um dos maiores vendedores de eletrodomésticos do país. Essa é a história de Ricardo Nunes, fundador e presidente da Ricardo Eletro, empresa que apostou no preço baixo para se tornar uma gigante do varejo brasileiro. Conheça a seguir um pouco da história da companhia e dos motivos de seu sucesso.

Da mexerica à Ricardo Eletro

Em entrevista à revista época, em 2010, Nunes contou que começou a carreira de empreendedor aos 12 anos, vendendo mexerica na porta de uma faculdade em Divinópolis (MG). Dessa época, ele diz trazer os dois principais fundamentos do varejo: cobrir qualquer oferta e tratar bem o cliente.

ricardo eletro
Ricardo Eletro se tornou uma gigante do varejo brasileiro apostando no preço baixo e no espírito vendedor de seus funcionários. Foto: iStock, Getty Images

Em 1989, aos 18 anos, Nunes fundou sua a primeira loja em Divinópolis. Ele revendia ursos de pelúcia e aparelhos eletrônicos portáteis que comprava em São Paulo. O empresário conta que, no princípio, vendia os eletrodomésticos por um valor menor do que tinha pago. O motivo? Atrair a clientela para que pudesse lucrar com a venda dos ursinhos.

Foco no preço baixo

Ali estavam as bases para a estratégia comercial de foco em preço e ganho de vendas em escala. O foco no preço é tamanho que, logo no início, Nunes firmou um compromisso em cartório de cobrir qualquer oferta da concorrência.

Apostar na venda em escala leva a empresa a adotar a estratégia de cobrar pouco para vender muito e faturar muito lucrando um pouquinho em cada venda.

Para honrar a promessa de melhor preço, a empresa conta com uma Central de Preços, responsável por calcular o preço de promoções em tempo real e verificar os valores cobrados pela concorrência.

Outro fator-chave para a Ricardo Eletro conseguir é o envolvimento direto de Nunes com seus cerca de 200 fornecedores. Com frequência, ele mesmo participa de reuniões para negociar preços mais baratos, mesmo que precise aumentar o volume da compra.

Foco nas vendas

Outro pilar é o foco no treinamento nas vendas. Um dos lemas de Nunes é: “Todo funcionário é antes de tudo um vendedor”. Para garantir que seus funcionários sejam treinados corretamente, a Ricardo Eletro criou na sede da empresa, em Belo Horizonte, a Universidade de Vendas, um curso de capacitação em vendas para novos profissionais, o que inclui gestores e diretores.

Boom da classe C

O crescimento da empresa veio na esteira do boom do consumo e expansão de crédito que acompanharam a ascensão da classe C brasileira. A Ricardo Eletro só abriu a sua primeira loja fora de Minas Gerais em 2002, no Espírito Santo, mas não parou de crescer desde então. Atualmente, conta com mais de 280 pontos de venda físicos em todo o país.

Em 2010, a Ricardo Eletro fundiu-se com a Insinuante, rede com mais de 260 lojas e com muita força no Nordeste. Desta fusão, surgiu a holding Máquina de Vendas, que atualmente também controla as bandeiras Eletro Shopping, City Lar e Salfer e tornou-se o segundo maior grupo varejista do país, com mais de 1,1 mil lojas, 30 mil funcionários e faturamento anual na vizinhança dos R$ 10 bilhões.

E-commerce da Ricardo Eletro

A divisão de comércio eletrônico da holding, a Pontocom, já fatura cerca de R$ 2 bilhões por ano. Um dos diferenciais desse e-commerce é uma diversidade grande de produtos, que não se restringe aos eletrônicos, como grande parte da concorrência.

A rede passou a vender vinhos em seu site a partir de julho do ano passado, em uma parceria com a Vilivinhos. Mais de 300 rótulos estão à disposição. Um mês depois, com um acordo com a fornecedora Marcyn, entrou no mercado de lingeries. O site comercializa agora cerca de mil peças femininas, como lingerie, pijamas, moda praia e fitness.

Gostou do case de sucesso da Ricardo Eletro? Comente!

Comentários

  1. Gabi Alves dice:

    Já tive uma experiência ruim de atendimento com esta empresa. Mas de qualquer forma, os preços são realmente competitivos. Acho que é bem voltado para a classe C mesmo.