Conube: contabilidade online para pequenas e médias empresas

Deixar um comentário

Independentemente da área de atuação, todas as empresas precisam ter um controle mínimo sobre a contabilidade para funcionar. Ainda que básico, esse cuidado com as finanças é problema comum nos pequenos negócios. Por esses e outros motivos, a Conube tem dado certo.

Especializada na oferta de serviços de contabilidade a partir de uma ferramenta que funciona pela internet, onde você estiver, a empresa pode ter pouco tempo de mercado, mas já desperta a atenção de investidores.

Equipe técnica é diferencial da Conube

Assessoria contábil, fiscal e folha de pagamento. De acordo com o CEO e co-fundador da empresa, Anderson Feitosa, a Conube traz ao cliente tudo que um escritório tradicional oferece, só que online, a partir de uma conta com login e senha.

É nela que o usuário recebe avisos sobre os vencimentos dos seus impostos, controla o pagamento de tributos, cadastra os seus clientes e efetua a emissão de notas fiscais eletrônicas. Em caso de problemas ou dúvidas, o suporte de atendimento pode ser acessado via chat, por e-mail ou, em casos específicos, por telefone.

Mesmo com as inovações trazidas pela ideia de negócio online, para Rafael Sasso, mestre em contabilidade pela USP e conselheiro da Conube, é a equipe de contadores experientes que representa o diferencial da empresa. Preparados não apenas para resolver problemas, os profissionais também compartilham conhecimento.

equipe da Conube
A Conube investe em uma equipe experiente e especializada para se firmar no mercado. Foto: Wellington Tomaz

Como surgiu a Conube

Enquanto cursava mestrado na Universidade de São Paulo (USP), o contador Anderson Feitosa resolveu abrir um boutique de contabilidade, com foco em empresas de grande porte. O sucesso foi grande e o negócio cresceu.

Mas o empreendimento também serviu para que ele percebesse uma demanda no mercado contábil: empresas menores em busca de serviços de alto padrão técnico para controlar suas finanças preservando a essência do negócio.

Foi aí que surgiu o estalo para criar a Conube. Com a ajuda e experiência de Gabriel Marquez, desenvolvedor da plataforma e co-fundador, a ideia começou a tomar forma.

“Em 2013, começamos os estudos para entender o mercado e as necessidades do usuários online, direcionando nossos esforços para as suas expectativas. Lançamos a plataforma em março de 2014 e recebemos um investimento logo em seguida”, explica Marquez.

Hoje, o foco da empresa é no atendimento de empresas que estão enquadradas no Simples Nacional e Lucro Presumido, mesmo aquelas menores, com apenas três funcionários, e que não costumam contar com recursos para programas mais complexos.

Médicos, advogados, consultores, corretores e profissionais de marketing – tanto faz. O único requisito é que a cidade em que a empresa está localizada conte com o sistema da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), destaca a contadora Taís Pinheiro, também co-fundadora da Conube.

Ser uma marca conhecida é o desafio

“Nosso principal desafio é fazer com que a Conube seja conhecida pelo empreendedor e uma referência na criação de conteúdo de qualidade”, pondera Feitosa, que vê no brasileiro um povo com potencial empreendedor acima da média, que segue investindo na abertura de empresas, mesmo com a crise.

A expectativa é que os próximos meses sejam decisivos para o crescimento da empresa, que tem focado seus investimentos não apenas em novos recursos de tecnologia, mas também em profissionais.

Ao mesmo tempo, os contadores se mantêm atentos a novas prefeituras que aderem ao sistema da NF-e. Elas representam a melhor oportunidade de expandir a empresa e espalhar a marca por todo o país.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.