Headspace: mais de 2 milhões já meditam com app da empresa

Deixar um comentário

“Olá! Meu nome é Andy. Bem-vindo à Headspace”, diz uma voz firme e grave, porém calma, na primeira gravação do aplicativo que já arrebatou mais de 2 milhões de usuários pelo mundo.

O locutor é Andy Puddicombe, um cidadão que largou uma vida típica que levava no Reino Unido pouco antes de se graduar em Ciências do Desporto para ir à Ásia atrás do sonho de se tornar monge budista. Por mais de 10 anos, ele viajou por Nepal, Índia, Burma, Tailândia, Austrália, Rússia e tantos outros lugares por conta de seu treinamento de meditação. E é justamente para aplicar uma das técnicas que aprendeu e domina que ele, após a saudação, te convida a sentar confortavelmente para assistir, ou apenas escutar, aos próximos 10 minutos da animação.

O começo da Headspace

Ao retornar ao seu país, em 2004, sem as vestes de monge, Andy tinha um objetivo traçado: queria tornar a meditação acessível ao máximo de pessoas, desmistificando esse hábito que é tão antigo quanto a humanidade. Antes, contudo, ele ainda passou uma temporada numa escola de circo, onde desenvolveu “impressionantes habilidades de malabarismo”, conforme conta em sua biografia no site da empresa.

Por fim, Andy criou uma consultoria de meditação, passando a atender alguns dos principais políticos, atletas e líderes empresariais da Grã-Bretanha. Foi quando apareceu Rich Pierson. Tido como um dos mais brilhantes talentos criativos do Reino Unido, o jovem procurou Andy atrás da calma que não encontrava mais no mundo dos negócios. Iniciaram ali uma parceria que, em 2010, daria origem à Headspace.

Headspace
Headspace nasceu com o objetivo de tornar a meditação acessível ao máximo de pessoas possível. Foto: iStock, Getty Images

Headspace: meditação onde você estiver

Os dois sócios deram início à parceria com uma empresa de eventos, mas logo notaram que poderiam atingir um público ainda maior se levassem para a internet as técnicas de meditação que ensinavam ao vivo. Afinal, após o encerramento de cada encontro eles eram abordados por inúmeros espectadores interessados em dividir com amigos e familiares o que tinham acabado de presenciar.

Nascia, assim, uma empresa com a missão de desenvolver ferramentas online de meditação focada na vida moderna, atingindo quem quer que fosse, seja lá onde a pessoa estiver, a qualquer momento, tendo como resultados uma pessoa mais calma, consciente e feliz.

Os números contábeis não são divulgados, mas é notável o sucesso. Hoje, segundo informações repassadas pela própria empresa, já são mais de 2.005.000 usuários pelo mundo, entre os quais famosos como as atrizes Gwyneth Paltrow e Emma Watson, e a colunista e empresária Arianna Huffington, co-fundadora do site de notícias Huffington Post.

O custo da meditação

Existe uma série de pessoas e sites oferecendo serviços de meditação guiada. Alguns gratuitos, inclusive. Na Headspace, contudo, somente as primeiras 10 lições, cada uma com 10 minutos de duração, em média, são gratuitas.

Depois do período grátis, o usuário tem a opção de comprar o pacote completo do que a empresa chama de Jornada Headspace. O pagamento mensal custa US$ 12,95. O anual, que segundo o site é o mais popular, sai por US$ 7,99 o mês. Se o usuário fechar por dois anos, fica ainda mais barato: US$ 6,24. E, por fim, se alguém quiser ter acesso ilimitado por toda a vida (sim, para todo o sempre!), o preço é US$ 419,95.

Ainda que existam opções gratuitas, a Headspace já cativou um público fiel. O app da empresa no iTunes Health and Fitness já foi o mais baixado durante um período, e o vídeo com a participação de Andy na TED 2012 já teve mais de 4,7 milhões de visualizações.

Melhorar a saúde e a felicidade do mundo

Quem medita garante que dorme melhor, se concentra mais nas atividades que precisa desempenhar, é mais estável emocionalmente e, consequentemente, tem relacionamentos mais harmoniosos, etc. Tudo isso tem sido provado ao longo dos anos por pesquisas científicas. Tendo a Headspace como ferramenta, alguns desses benefícios já foram testados inclusive por documentaristas da BBC, a rede pública de televisão da Grã-Bretanha.

Pensando nos benefícios que a meditação traz às pessoas, e “para nos ajudar a cumprir nossa missão de melhorar a saúde e felicidade do mundo”, a Headspace garante que, a cada nova assinatura, doará outra para alguém necessitado.

E assim, com o carisma de Andy e atitudes engajadas, fica mais fácil explicar o sucesso da empresa.

Comentários

  1. Carlos S dice:

    Usei e aprovo! Muito bom!