Aprenda a usar o clipping de notícias a favor de sua empresa

Deixar um comentário

O clipping, ou clipagem, é o serviço de agrupar notícias publicadas na imprensa sobre determinado assunto ou marca. Com a inclusão digital e a popularização dos smartphones, que contribuem para um cenário cada vez mais imediatista, usar essa ferramenta para monitorar aquilo que é dito pelos consumidores virou uma tarefa fundamental para as empresas.

Internet potencializa repercussões negativas

“São necessários 20 anos para construir uma reputação, mas apenas cinco minutos para arruiná-la.” A frase do mega-investidor Warren Buffet, um dos homens mais ricos do mundo, é um mantra no mundo dos negócios. Investindo em clipping e monitorando o que o público fala sobre a marca, fica mais fácil trabalhar na prevenção de possíveis crises – evitando a morte da reputação.

Fazer uma clipagem, ou clipping, é agrupar as notícias que saíram na imprensa sobre um determinado assunto. Foto: iStock, Getty Images
Fazer uma clipagem, ou clipping, é agrupar as notícias que saíram na imprensa sobre um determinado assunto. Foto: iStock, Getty Images

Clipping permite monitorar as menções à empresa

Antigamente, o clipping se resumia a ler jornais atentamente e recortar as reportagens positivas e negativas, emitindo um relatório para o cliente interessado. Com a chegada do rádio e da televisão, o processo se tornou mais trabalhoso. E a internet é um caso à parte: ao mesmo tempo em que reverbera o que é dito de forma exponencial, permite monitorar o conteúdo com métricas e programas específicos.

Para o co-fundador da Internet Reputation, Logan Chierotti, o clipping pode funcionar como um instrumento de proteção contra a calúnia. “A concorrência frequentemente é a responsável pela difamação, porque essa é uma maneira simples, fácil e barata de roubar mercado. No ano passado, a Samsung pagou uma multa de US$ 340 mil por postar falsas avaliações negativas da rival HTC”, exemplifica Chierotti em artigo na revista americana Inc.

Usando o clipping a favor de sua empresa

Agora que você entendeu a importância de investir em clipping para a preservar a reputação de sua marca, chegou a hora de aprender a usar a ferramenta a seu favor:

Monitore todos os meios

Como já explicamos, jornal, rádio e televisão são as mídias tradicionais, mas você também precisa gerar um clipping do que acontece na internet: é lá que os seus clientes vão se manifestar. Segundo um estudo da comScore em parceria com a IAB Brasil, quase metade da audiência online brasileira (46%) passa o mínimo de duas horas por dia na internet. Além disso, 87% dos brasileiros considera a internet um meio muito importante.

“Você precisa monitorar tudo. Alertas do Google não são o bastante. Você precisa de algo mais poderoso, um serviço capaz de analisar avaliações em sites, notícias e redes sociais em um único lugar. É fundamental entender a maneira como sua marca é percebida em todas as plataformas. Só assim você conseguirá agir antes de a situação fugir do controle”, recomenda Chierotti.

Dê preferência à análise qualitativa

“Falem mal, mas falem de mim.” Embora esse ditado possa fazer sentido para celebridades interessadas apenas na exposição, sua empresa tem uma marca e uma reputação a zelar. Foque em análises qualitativas do que é divulgado, entendendo as implicações e os motivos de cada aparição.

Mantenha um fluxo de trabalho

O ideal é planejar um fluxo de trabalho para lidar com o clipping na empresa. Quem recebe o material? Quem o analisa? Baseado em quais critérios? Qual a comparação? Monte gráficos, crie estatísticas e não deixe de monitorar, sempre que possível, o desempenho dos seus concorrentes, descobrindo seus pontos fortes e fracos.