Como a comunicação interna pode ajudar no gerenciamento de crise?

Deixar um comentário

Passar por uma grande crise pode ser um verdadeiro pesadelo para qualquer empresa, especialmente se ela não estiver preparada do ponto de vista da comunicação interna. Para um gerenciamento de crise eficiente, não pode haver dificuldades para se comunicar com seus funcionários, o que levaria a turbulência a ter ramificações desastrosas. A seguir, confira o que pode ser feito para manter sua equipe engajada em períodos difíceis.

Aceitando a crise

Uma empresa pode fazer todas mudanças organizacionais necessárias, mas ainda assim fracassar no gerenciamento de crise por falta de investimento em comunicação interna para preparar os funcionários mentalmente para a transição.

“Quando uma crise acontece sem que as pessoas sejam guiadas através de uma jornada mental, o que acontece é apenas um rearranjo de cadeira”, escreveu William Bridges no livro Managing Transitions (2003).

gerenciamento de crise
Atenção a ações de comunicação interna é essencial para facilitar o processo de transição da crise para um novo período. Foto: iStock, Getty Images

Segundo o autor, um dos principais erros cometidos por empresas é focar suas energias em fazer com que funcionários aprendam um novo de jeito de fazer seus trabalhos, quando deveriam primeiro convencê-los a abandonar processos antigos. “Começos dependem de finais. O problema é que pessoas não gostam de finais”, diz.

Bridges diz que uma crise tem três estágios, começando pelo Fim (deixar para trás o jeito como as coisas sempre foram feitas), a Zona Neutra (transição em que a empresa já deixou para trás o jeito antigo, mas ainda não adotou plenamente um modelo novo) e o Novo Começo (fazer com que mudanças comecem a funcionar).

Dicas para o gerenciamento de crise

Para conduzir seus funcionários através desses três estágios, o autor sugere algumas ações de comunicação interna que podem ser tomadas para ajudar no gerenciamento de crise:

–  Converse com as pessoas sobre o processo de transição para que elas compreendam que o caminho pode ser desafiador e que as dificuldades enfrentadas não serão meros erros de planejamento da empresa;

–  Ajude-as a entender por que a mudança está acontecendo. Assuma-a e deixe os funcionários tomarem conhecimento em primeira mão dos problemas, colocando-os para falar com clientes insatisfeitos, por exemplo. Crie um nível de desconforto sobre o momento em que a empresa se encontra para que eles sintam-se inclinados a aceitar mudanças;

–  Diga claramente o que você deseja que seus funcionários deixem de fazer e o que você deseja que eles façam. Criar diretrizes como “foque mais no consumidor” ou “trabalhe de forma multidisciplinar” não é o suficiente. Eles precisam saber o que exatamente você espera.

Preparando o futuro

O autor também aconselha a empresa a focar em quatro ações de comunicação interna para chegar à fase do novo começo:

–  Explique o propósito e os objetivos por trás das mudanças, para que seus funcionários possam ver por que eles devem ajudar a atingi-los;

–  Pinte o quadro de como as mudanças afetarão a vida de sua equipe. Explique, de forma detalhada e dando exemplos práticos, como será o futuro de seus funcionários e como suas rotinas serão afetadas;

–  Faça um plano passo a passo do que precisa ser feito para que o novo começo se torne uma realidade;

–  Dê a cada funcionário uma função e um papel a cumprir nesse plano, para que eles possam contribuir de forma efetiva.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas:

Gerenciamento de crise: saiba como agir

Acerte ao investir no negócio em tempos de crise

Confira dicas sobre como atrair clientes em tempo de crise

Conheça 4 ferramentas de comunicação interna para seu negócio