Custo e preço: definindo a relação perfeita para a sua empresa

Deixar um comentário

Definir a melhor relação entre custo e preço de um produto ou serviço costuma ser um desafio para os empreendedores. Além de considerar todas as despesas do processo, é necessário estipular uma taxa de lucro que garanta a sustentabilidade financeira da empresa – tudo isso de acordo com o preço praticado pela concorrência.

Parece complicado? Então adicione os encargos tributários, a inflação, as variações econômicas e a imprevisibilidade do câmbio. Em um cenário com tantas variáveis, entender como estipular a relação ideal entre custo e preço pode ser o diferencial da sua empresa. Continue a leitura e conheça os principais critérios para acertar nessa definição.

Preço é o custo mais taxa de lucro

Falando em termos gerais, o preço é o valor estabelecido pelo vendedor para transferir a propriedade de um produto ou serviço ao cliente. Além dos custos e das despesas, o preço inclui o eventual lucro ou prejuízo do empresário. Trata-se, portanto, da soma entre custos, despesas e lucro.

custo e preço
Encontrar a melhor relação entre custo e preço é importante, mas não deve consumir toda sua atenção. Foto: iStock, Getty Images

Basicamente, portanto, é a taxa de lucro do seu negócio que irá ditar o preço cobrado: quanto maior é o preço de venda de uma mercadoria em relação às despesas e custos necessários para produzi-la, maior será o lucro.

Custos e despesas

O custo pode ser caracterizado como o somatório de todos os gastos que a sua empresa terá no processo produtivo de um bem ou serviço, da fase inicial ao estado de consumo. Os principais custos estão relacionados a:

– Matérias-primas e insumos

– Mão-de-obra e demais elementos humanos

As despesas, por sua vez, englobam gastos que não estão ligados à produção, mas que contribuem de forma direta ou indireta para o processo de venda e comercialização do produto ou serviço. O aluguel do seu estabelecimento e o pagamento de comissões a representantes comerciais são exemplos de despesas, pois não se relacionam à produção.

Vale lembrar, ainda, que os custos e despesas podem ser fixos ou variáveis. O custo fixo não está relacionado à quantidade produzida ou o volume vendido (aluguel), enquanto o custo variável depende da variação na quantidade produzida e vendida (matéria-prima).

Relação entre custo e preço varia conforme o local

Diante dessas variáveis, é natural que a relação entre custo e preço, assim como a taxa de lucro, varie conforme o local onde a mercadoria é produzida e comercializada. Custo de mão de obra, gastos com transporte e diferenças culturais são alguns dos fatores que influenciam no preço final.

A melhor forma de perceber a discrepância é analisando o preço de um mesmo produto em diferentes países. De acordo com um estudo realizado pela Deutsche Banck em parceria com o International Monetary Found, por exemplo, o custo da versão de entrada do iPhone 6 varia de US$ 1.254 no Brasil para US$ 650 nos Estados Unidos. Os países onde os consumidores pagam mais caro pelo smartphone da Apple são:

1º Brasil: US$ 1.254

2º Rússia: US$ 932,4

3º Indonésia: US$ 863,9

4º China: US$ 862,4

5º Índia: US$ 853,3

Percebe-se, portanto, que não há fórmula pronta: o preço vai depender do quanto você gasta para produzir, quanto seus concorrentes cobram e quanto os consumidores estão dispostos a pagar.

Aposta na diferenciação é alternativa

Definir a melhor relação entre custo e preço é importante, mas não deve ser sua única preocupação. Depois de definir a combinação ideal para a sustentabilidade financeira da sua empresa, talvez seja mais interessante investir tempo para encontrar um diferencial para o produto.

É isso que defende o economista e diretor do Ashridge Strategic Management Centre, Andrew Campbell, em artigo publicado no Harvard Business Review. Para ele, alcançar o sucesso no ramo empresarial consiste em um desafio com pontos principais:

– Para criar valor à empresa, é preciso obter um retorno superior ao do concorrente médio sobre os seus esforços

– Para obter um retorno maior do que o do concorrente médio, seu produto deve ter uma vantagem ou você precisa competir em um setor extremamente aquecido, de alta demanda e baixa concorrência

– A vantagem pode ser obtida de duas formas: cobrando um preço maior pelos produtos ou diminuindo os custos que envolvem sua produção.

Diante disso, é possível concluir que, embora a relação entre custo e preço de fato seja relevante para o sucesso empresarial, apostar na redução de custos e na criação de um diferencial para obter um maior retorno sobre os seus esforços talvez seja a melhor opção para quem está começando no empreendedorismo.

E aí, gostou da matéria? Se as dicas foram úteis para você, compartilhe esse artigo nas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Caso haja dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.