Estimule a criatividade na sua empresa com a técnica Scamper

Deixar um comentário

A rotina exaustiva de uma empresa, com prazos a cumprir, clientes exigentes e dezenas de processos internos, pode minar a criatividade da equipe. Criada para estimular a geração de ideias por meio de um brainstorm coletivo, a técnica Scamper permite encontrar soluções inovadoras – evitando que os seus produtos se tornem obsoletos.

Ficou curioso para entender como funciona esse processo? Então continue a leitura e descubra a melhor maneira de aplicar o Scamper no dia a dia da sua empresa.

scamper
Ténica Scamper funciona como um brainstorm coletivo para geração de ideias inovadoras. Foto: iStock, Getty Images

Scamper promove a geração de ideias

Robert Eberle foi um administrador americano ligado ao setor educacional, com passagens por diversas instituições. Em 1977, ele lançou o livro Scamper, descrevendo técnicas de estímulo à criatividade para crianças e professores.

O título – e o nome do método – é um acrônimo de sete termos: Substituir, Combinar, Adaptar, Modificar, Propor novos usos, Eliminar e Rearrumar. A busca pela criatividade consiste na reflexão coletiva dessas sete ações, a fim de encontrar soluções para um problema apresentado previamente.

Com o tempo, a técnica foi absorvida pelo mundo dos negócios, transformando-se em uma ferramenta utilizada por empresas interessadas na inovação nos processos. Como não há requisitos para a aplicação, o Scamper pode ajudar qualquer grupo de pessoas que queira estimular a própria criatividade.

Como aplicar o Scamper na sua empresa

O primeiro passo é definir o objetivo da equipe, como aumentar as vendas de um produto, melhorar a margem de lucro da empresa ou reduzir os custos de determinado processo. Definido o objetivo, é hora de reunir a equipe – todas as pessoas relacionadas ao assunto podem contribuir – para aplicar o Scamper.

Use um computador com projetor ou quadro para anotar as ideias. Deixe claro que qualquer sugestão, por mais ridícula que possa parecer em um primeiro momento, será aceita. Em seguida, começam as perguntas:

Substituir

Que regras a empresa pode substituir para atingir o objetivo? Que materiais podem ser trocados por outros para melhorar o desempenho? Quem pode substituir quem na busca pelos resultados?

Combinar

O que aconteceria se você combinasse esse produto com aquele, para produzir algo novo? E se fosse possível combinar duas equipes para que trabalhem juntas? O que é preciso combinar e unir para ser bem-sucedido nesse projeto?

Adaptar

Como esse produto pode ser adaptado para outro propósito? Que funcionalidades o produto não tem, mas deveria ter? Em que medida os profissionais precisam adaptar a rotina de trabalho para melhorar o desempenho?

Modificar

Como alterar a essência, o gosto, a cor, a forma ou o aroma de determinado produto? O que poderia ser adicionado para melhorá-lo? O que deve ser intensificado? A que mudanças pontuais a empresa precisa ser submetida?

Propor novos usos

É possível usar esse produto em outro lugar, com outro propósito? Quem mais poderia se interessar pelo produto? O desperdício ao longo do processo produtivo não poderia ser reciclado?

Eliminar

Que partes podem ser eliminadas para melhorar o produto? Como é possível simplificar o projeto para melhorar os resultados? O que aconteceria se determinado setor fosse extinto?

Rearrumar

Essa é a melhor ordem para esse processo? É impossível reordenar o conjunto para melhorar os resultados? Qual o critério de arrumação?

É provável que tantas perguntam deem origem a um turbilhão de ideias, com dezenas de termos para anotar. Pois é esse o propósito do Scamper: estimular a criatividade e colocar em pauta assuntos que não seriam tratados.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas