Gestão de franquias: 3 armadilhas que devem ser evitadas

Deixar um comentário

Ao optar por uma franquia, o empreendedor deve ter em mente que, embora seja um negócio que envolve menos riscos em relação a outros modelos, administrá-lo de forma eficaz é um pré-requisito para o sucesso. É necessário ter cuidado para não cair em armadilhas comuns na gestão de franquias a fim de proteger o empreendimento e alcançar o êxito.

3 armadilhas comuns da gestão de franquias

Na gestão de franquias, alguns erros relacionados aos gastos da empresa e à relação com os clientes colocam em jogo o sucesso do negócio. Por isso, siga a leitura e se livre destas três armadilhas.

Dicas para gestão de franquias
Para fazer a gestão de franquias, empreendedor deve definir expectativas e supervisionar a loja. Foto: iStock, Getty Images

1. Falta de supervisão

Por ter modelo de negócio e processos da franquia já estabelecidos, o empreendedor pode achar que supervisionar a empresa no dia a dia não é essencial. Mas não é assim que deve ser feita a gestão.

“É um erro o franqueado achar que a loja pode andar sozinha com a equipe. Ele precisa estar presente, visitar a unidade. Há questões do funcionamento que só ele vai enxergar, pelo fato de ter uma visão mais ampla do negócio”, explica Fabiana Estrela, diretora regional sul da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Por isso, lembre-se de que a supervisão é imprescindível para obter um panorama do funcionamento da franquia. Estando presente na empresa constantemente, ficará mais fácil observar os processos que dão certo e os que devem ser melhorados no negócio.

2. Uso inadequado do dinheiro

Muitas vezes, as contas pessoais do empreendedor podem se confundir às do negócio – e o resultado disso é o orçamento insuficiente para a empresa mais tarde. Por isso, o gestor não deve fazer uso inadequado do dinheiro para cobrir os gastos da vida pessoal, principalmente na fase inicial.

De acordo com Fabiana, esse erro indica que ele não faz a gestão financeira com o cuidado necessário. Então, como agir? “O franqueado não pode tirar dinheiro além do que o negócio suporta. Nos primeiros doze meses, o ideal é que ele não faça isso, pois, em primeiro lugar, a empresa precisa amadurecer”, orienta a diretora.

Por essa razão, ela garante que é fundamental o empreendedor alinhar suas expectativas financeiras antes de abrir a franquia, para não acabar se decepcionando.

3. Ausência de investimento em marketing local

Mesmo que sua franquia seja conhecida, não caia na armadilha de pensar que o cliente já está garantido. O fato de a marca conquistar consumidores em outras regiões não significa que a clientela é certa no local onde você deseja empreender. Por isso, não subestime o poder do marketing, criando estratégias para o local onde a empresa será estabelecida.

“O Brasil é muito grande, cada estado é diferente. Se você não investir em marketing local, acaba perdendo muitos resultados. É preciso planejar ações locais de relacionamento”, alerta Fabiana.

Segundo ela, o franqueado não deve achar que atrair e fidelizar clientes é um trabalho que diz respeito apenas à franqueadora. Portanto não esqueça: é seu dever como gestor da franquia pensar em estratégias de marketing para conquistar clientes na região. Na hora de fazer isso, considere as particularidades da cidade e do público-alvo.

Fuja das armadilhas

Para fazer a gestão de franquias sem prejudicar o negócio, leve em conta essas três armadilhas. Estando atento a elas, você reduz as chances de administrar a empresa de forma incorreta. Por isso, invista no marketing direcionado a sua região, controle o uso do dinheiro e esteja sempre presente na unidade para supervisionar o funcionamento.

Gostou das dicas do artigo? Que tal compartilhar com seus amigos nas redes sociais? Também não esqueça de deixar dúvidas e sugestões por meio de um comentário na página.