Melhores negócios para investir durante a crise financeira

Deixar um comentário

A crise chegou. Você começa a ver negócios fecharem em seu bairro, justamente quando você estava pensando em investir. E agora, o que fazer? A recessão econômica afeta toda a sociedade, mas alguns setores tendem até a se beneficiar durante momentos de cortes de custos. A seguir, confira alguns dos melhores negócios para investir durante crises.

5 melhores negócios para investir na recessão

1. Varejistas de desconto

Quando a economia vai mal e a renda das famílias começa a ser afetada, é natural que as pessoas comecem a trocar artigos mais caros por opções com descontos. Se a ideia é montar um negócio, abrir uma loja especializada em produtos de menor valor pode ser uma boa opção para absorver os clientes que abandonaram marcas de maior valor agregado.

melhores negócios para investir
Ao mesmo tempo que grande parte das empresas são afetadas, períodos de recessão também trazem oportunidades. Foto: iStock, Getty Images

Por outro lado, se a ideia é investir em ações, lembre-se que, durante a crise, grandes varejistas podem exercer as vantagens da economia de escala e oferecer produtos mais baratos para os consumidores. Com esta vantagem competitiva, essa companhias atraem mais clientes e, consequentemente, suas ações se tornam mais atrativas.

Aqui vale uma ressalva: negócios de alto luxo tendem também a sofrer menos, uma vez que seus clientes, as classes mais altas da sociedade, são menos afetados por recessões.

2. Aposte na morte

Pode parecer meio cruel, mas se há uma coisa que vai continuar acontecendo durante a crise é a morte. Apesar de serviços funerários também estarem suscetíveis a crises – registrando queda na procura por caixões mais elaborados e aumento no pedido de cremações (serviço mais barato), por exemplo -, é improvável que a clientela diminua.

Outra possibilidade é ganhar com a morte de empresas. Empresas que removem ferro velho e objetos deixados para trás passam a ser mais procuradas quando bancos precisam retomar propriedades de companhias falidas. Escritórios de advocacia especializados em pedidos de falência verão um aumento na procura.

3. Redução de custos

Se você procura um negócio não tão macabro, há serviços que se aproveitam da crise financeira, como empresas de consultoria tributária, contábil e finanças familiares. Na hora do aperto, especialistas em redução de custos passam a ser mais procurados.

4. Indústria de vícios

Durante a Grande Depressão de 1929, enquanto as ações de empresas derretiam, segmentos de doces e cigarros decolaram. Mesmo com o passar do tempo, indústrias que apostam nos vícios das pessoas tendem a ser uma boa pedida.

Contudo, fique atento. A regra de que as pessoas procuram por produtos mais baratos vale aqui também. Se a ideia é montar um bar, ter uma carta de cervejas populares pode ser uma opção mais adequada do que vender apenas cervejas artesanais, por exemplo.

5. Tatuagens

Para finalizar, uma dica curiosa. Segundo pesquisa do instituto Harris, um em cada cinco cidadãos americanos fizeram uma nova tatuagem, um aumento de 14% na comparação com 2008. Isso se explica porque, durante a crise, fazer uma tatuagem se torna uma forma barata de a pessoa se expressar criativamente e aumentar a autoestima.

Por outro lado, serviços de remoção de tatuagens também tendem a ser mais procurados por pessoas que foram demitidas e desejam parecer mais profissionais durante entrevistas de emprego.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.

Matérias relacionadas:

Acerte ao investir no negócio em tempos de crise

Saiba como investir para obter retornos a médio prazo

Conheça o cenário do mercado de luxo na América Latina

Por que a redução de custos constante deve ser uma política da sua startup