Por que as PMEs devem certificar-se nas normas de qualidade ISO 9001?

Deixar um comentário

Nos últimos anos, a norma ISO 9001:2008, elaborada pela Organização Internacional para Padronização (ISO), que especifica os requisitos para um sistema de gestão da qualidade, parece ter entrado na moda também no segmento das pequenas e médias empresas.

A certificação implica que um terceiro proporcione uma garantia, mediante um certificado escrito, de que um produto, serviço, sistema, processo ou material se adequa a requisitos específicos. A proporção de PMEs que certifica seus produtos ou processos, no entanto, ainda é baixa.

18% das PMEs do segmento industrial conta com certificações ISO e 11% está no processo de aplicar as mesmas. Foto: Creative Commons.
18% das PMEs do segmento industrial conta com certificações ISO e 11% está no processo de aplicar as mesmas. Foto: Creative Commons.

Por exemplo, na Argentina, 18% das PMEs industriais contam com certificados ISO e 11% está no processo de inscrição para obtê-los. Segundo o Iram (Instituto Argentino de Normalização e Certificação), 70% das empresas que certificam são PMEs.

O que pode ser certificado?

A norma ISO 9001 certifica a Gestão da qualidade de uma empresa. A OSHAS 18.001 certifica segurança e higiene, e a ISO 14.001 a gestão ambiental. Há outras normas industriais ou atividades específicas, como a TS 16949 da indústria automobilística. Cada norma estabelece certos requisitos para os quais a empresa deve se preparar com o objetivo de demonstrar que pode cumpri-los.

Quando a empresa cumpre estes requisitos, seleciona uma entidade que a audite e conceda um certificado correspondente. Esta fase preparatória pode demorar cerca de um ano, mas depende da organização da empresa, do tamanho e dos recursos dedicados à certificação.

Por que certificar?

Porque é um selo concedido por terceiros que garante aos seus clientes atuais e em potencial a segurança e eficiência do produto que está sendo adquirido. Demonstra, além disso, um compromisso forte da gerência com a qualidade. Esta garantia de qualidade ajuda a organizar a empresa e abre portas para novos clientes e possibilidades de exportação.

“Decidimos implementar a certificação porque alguns clientes nos pediram e principalmente porque nos permite ser mais produtivos e estar mais organizados“, comentou Martín Rodriguez Riou, CEO da BREMETSA, uma PME argentina da indústria metalmecânica que implementou a ISO 9001.

Eles também esperam certificar-se na norma ISO/TS 16949, que especifica os requisitos da ISO 9001 para a indústria automobilística. Eles, por sua vez, também selecionam os seus fornecedores tendo em conta qualidade e preço, procurando preferencialmente aqueles que também tenham certificação ISO ou estejam em vias de certificação para garantir a qualidade da sua matéria-prima.

O que ocorre depois da certificação?

Depois da certificação, as empresas passam por uma auditoria e recertificam periodicamente seu sistema para garantir que as mudanças e processos estabelecidos se mantenham ao longo do tempo. A mesma norma ISO 9001 também é atualizada para adaptar-se a mudanças contextuais.

Atualmente está em vigência a ISP 9001-2008, mas é esperada para o fim do ano a versão 2015. As empresas já certificadas terão até três anos para atualizarem sua versão. Haverá um alinhamento comum dos requerimentos entre as outras normas mencionadas para facilitar a integração de todos os sistemas de gestão das empresas.