Serviços on demand: conheça vantagens e desvantagens

Deixar um comentário

Você já ouviu falar em on demand? Trata-se de um serviço ou produto ofertado por uma empresa de tecnologia, visando suprir imediatamente a demanda do consumidor. Essa descrição pode parecer confusa, mas é bem provável que já tenha feito uso deste tipo de ferramenta mesmo sem saber exatamente do que se trata ou da sua importância para a nova organização econômica do mercado.

Serviços on demand redefinem esquemas econômicos

A lógica dos serviços on demand implica em uma mudança nos esquemas econômicos e sociais, que aos poucos começam a ganhar espaço. Se antes a lógica era acumular e possuir, o perfil desse novo tipo de consumidor se caracteriza pela necessidade de compartilhamento e interação entre as pessoas e os serviços disponibilizados.

on demand
Crescimento dos serviços on demand gera nova lógica de mercado e cria desafios para empreendedores e consumidores. Foto: iStock, Getty Images

De acordo com o periódico The Economist, em artigos especiais publicados em janeiro de 2015, existem três aspectos fundamentais dos serviços on demand a serem destacados, que refletem nessa nova definição das características econômicas.

A primeira delas é a facilidade em encontrar serviços para qualquer coisa. Nos Estados Unidos, é possível encontrar serviços on demand que vão desde a reforma e serviços domésticos até canais de vídeo e filmes. Seguindo a leitura, você vai encontrar exemplos.

A tecnologia é um aspecto fundamental nessa equação, pois você pode contratar serviços on demand não somente no computador, mas também através de aplicativos em smartphones e tablets. Por conta disso, o fortalecimento dos serviços de freelancer – através do qual você pode dividir as tarefas e otimizar processos – são cada vez mais visíveis nessa nova economia e prestação de serviços.

Por último, a ordem criada pelo on demand também tem participação em aspectos sociais. Se por um lado, facilita o acesso a quem não tem tempo, mas tem dinheiro para contratar, e oportuniza trabalho a quem não encontra espaço no mercado saturado, por outro lado coloca em xeque aqueles que estão presos à estrutura tradicional.

Em função dessa lógica, alguns serviços on demand causam polêmica e geram debates políticos sobre quais são os limites destas práticas. É visível que o consumidor sai ganhando com este tipo de serviço, mas e a economia? Serviços e produções de TV a cabo podem perder espaço em detrimento de produções audiovisuais dos novos meios?

Se a lógica altera-se para o consumidor, também vale para empreendedores e funcionários, que terão de se reinventar para enfrentar esta nova lógica de mercado.

Exemplos populares de serviços on demand

O mercado de serviços on demand possibilita inúmeras oportunidades de negócios. Os segmentos a serem explorados são infinitos, e criatividade e inovação são fundamentais na hora de conceber uma ideia.

Conheça, abaixo, três serviços on demand e veja se eles podem inspirá-lo a empreender por esse caminho.

Netflix

O Netflix revolucionou o mercado audiovisual. Além de exibir filmes online, a empresa também passou a produzir séries próprias, que alcançaram grande sucesso de público e crítica no mercado mundial.

As premiadas Orange Is The New Black e House of Cards estão entre os principais produtos da marca. Pagando uma quantia fixa por mês, o usuário pode assistir quantos filmes e séries desejar, através de streaming.

Uber

O polêmico aplicativo oferece um serviço de caronas com motoristas particulares, que não estão ligados a nenhum tipo de vínculo empregatício ou sindical. Como o usuário paga um determinado valor para pegar a carona, e não há geração de impostos para os governos, o aplicativo tem sido alvo de protestos, principalmente de taxistas, e encontrado resistência para sua expansão. Criada em 2009, a Uber atualmente está avaliada em mais de 40 bilhões de dólares.

AirBNB

O AirBNB é um serviço de hospedagem presente em mais de 190 países do mundo. Através da plataforma, hóspedes e anfitriões podem entrar em contato direto, e você pode receber viajantes na sua casa. Na ferramenta, você define o valor da diária e as acomodações e o hóspede que se interessar pode escolher a sua casa. A empresa lucra através de um percentual de comissão sobre o valor obtido na negociação.

O novo consumidor

Teste os exemplos acima e veja como é tudo muito fácil. O raciocínio para quem quer empreender nessa área é o mesmo de sempre: colocar-se no lugar do consumidor. Mas dessa vez o exercício tem ainda mais valia. Pense nas relações comerciais que poderiam ser facilitadas com a tecnologia e tente bolar um modelo de negócio inovador.

Gostou das nossas dicas? Então compartilhe o artigo com seus amigos, colegas e seguidores. Se tem dúvidas ou sugestões, deixe um comentário e colabore com a troca de ideias.