Setor de produção de cachaça aumenta lucros graças à sustentabilidade

Deixar um comentário

A cachaça é uma bebida alcoólica tipicamente brasileira. A aguardente feita a partir da destilação do caldo da cana-de-açúcar começou a ser produzida quando o cultivo da planta virou a base da economia do Brasil Colônia. De lá para cá, muita coisa mudou, e a produção de cachaça tornou-se uma atividade diversificada, com vários públicos diferentes.

A evolução constante das tecnologias aperfeiçoou a produção de cachaça, que ganhou contornos industriais. Atualmente, além da automatização dos processos, permitida pela industrialização, é a sustentabilidade que vem provocando mudanças no setor.

Confira nesse artigo como as práticas amigas do meio ambiente podem contribuir para melhorar a imagem da marca e aumentar os lucros com a produção da cachaça.

produção de cachaça sustentável
Produção de cachaça aposta em sustentabilidade para cativar consumidores e aumentar lucros. Foto: iStock, Getty Images

Sustentabilidade em todas as etapas de produção

A Cachaça Cana & Lua, fundada em 1997 em Alterosa, Minas Gerais, e, é uma das marcas brasileiras que acredita na sustentabilidade não apenas como forma de aumentar os lucros, mas especialmente de promover a melhoria da utilização dos recursos sociais e ambientais.

De acordo com Úbion Terra, sócio-proprietário e responsável pelo marketing da empresa, a sustentabilidade está presente em todas as etapas de produção da Cachaça Cana & Lua. Para ele, ela deve fazer parte de um tripé, que contempla os vieses econômico, social e ambiental, todos intimamente relacionados.

“As boas práticas utilizadas pela empresa, sendo elas de gestão, ambiental e social, resultam na excelência em qualidade do produto, que resulta em vendas e premiações nacionais e internacionais e, consequentemente, em melhores oportunidades de negócio”, destaca ele.

O processo de produção de cachaça da marca consiste em um programa de manejo ambiental, visando reduzir ao máximo qualquer impacto na natureza. Desde o corte de cana, a empresa utiliza a palha e o desponte como adubo natural. A secagem do bagaço da cana é feita no sol, para reduzir emissão de gases, e o produto é, posteriormente, utilizado na fornalha que aquece o alambique, evitando o uso de madeira.

Já os resíduos da destilação vão para uma unidade de tratamento e, depois, voltam para o campo, para um processo de fertirrigação orgânica. Não há descarte de materiais ou águas em correntes naturais. De acordo com Terra, existe um programa completo de boas práticas de fabricação. “Tudo isto se reflete na qualidade do produto e nos resultados da empresa”, comemora.

Conheça o mercado de produção de cachaça

De acordo com Terra, é possível perceber uma evolução gradual na imagem da cachaça e no mercado em geral. Segundo ele, havia grande preconceito com a bebida no passado. “O segmento de cachaças especiais ou gourmet, de qualidade superior, tomou a dianteira neste sentido, profissionalizando e buscando produtos de excelente qualidade, além de embalagens mais atrativas e um novo posicionamento no mercado”, destaca.

Isso possibilitou à cachaça se tornar um produto de maior valor agregado. Na cadeia produtiva, a cachaça movimenta cifras de R$ 7 bilhões por ano. “Podemos dividi-lo em dois grandes segmentos, sendo a cachaça artesanal e a industrial. Pode-se dizer que a produção nacional é de 1,4 bilhão de litros ao ano, sendo 70% industrial e 30% artesanal”, finaliza Terra.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.