4 erros para não cometer na gestão de caixa

Deixar um comentário

Independentemente do tamanho da sua empresa, você não conseguirá manter seu negócio sem fazer uma gestão de caixa responsável. Por inexperiência nos negócios ou desconhecimento da área financeira, muitos empreendedores acabam cometendo erros de avaliação ou de gerenciamento.

Veja 4 erros comuns da gestão de caixa

Para evitar que sua empresa se afunde em dívidas ou não dê lucro, vale a pena seguir alguns conselhos. Veja abaixo quatro erros comuns da gestão de caixa e saiba o que deve ser feito para evitá-los.

Gestão de caixa
Deixar de acompanhar o fluxo de caixa e não manter dinheiro extra são alguns dos principais erros financeiros. Foto: iStock, Getty Images

1. Superestimar volume de vendas futuras

Otimismo é uma característica importante, que está presente na personalidade de empresários e pessoas de negócios bem sucedidas. No entanto, é preciso cuidado para que essa confiança não atrapalhe a gestão de caixa.

Em artigo publicado na Entrepreneur, Jared Hecht, co-fundador e CEO da Fundera, explica que é importante fazer a previsão com base em números reais e volumes vendidos no passado. Nos primeiros anos, fazer essa estimativa pode ser difícil; por isso, o recomendável é que o empreendedor tenha alguma experiência profissional no mercado no qual está entrando.

2. Fazer gastos por impulso durante a fase de arranque

A velha máxima dos negócios, que diz que “é preciso dinheiro para fazer mais dinheiro” é verdadeira, mas é preciso cuidado com essa ideia, especialmente nos primeiros meses do negócio.

Como sua empresa ainda não atingiu o ponto de equilíbrio (ou seja, sua receita ainda não é suficiente para pagar todas as despesas), é preciso atenção redobrada para que o dinheiro não acabe antes dos primeiros meses de lucro.

Você deve ter em mente que começar um negócio envolve diversos gastos e, como sua empresa tem capital inicial limitado, é preciso se restringir aos custos fundamentais. Nada de fazer loucuras e investir em equipamentos caros ou infraestrutura desenecessária. Mantenha os custos na ponta do lápis, ou a gestão de caixa será bem mais complicada.

3. Não monitorar o fluxo de caixa

Não adianta nada você seguir as dicas anteriores, mantendo os padrões realistas de previsão de volume de vendas, ou diminuir os gastos, se você não acompanha de perto os números de seu negócio e de seu capital em caixa. É preciso conhecer o mercado de seu negócio e os períodos em que poderá haver variação. Monitorando esses índices, fica mais fácil contornar os problemas.

4. Não manter um pouco de dinheiro em mãos

Ainda que você tome todas as medidas possíveis para corrigir os erros citados acima, existem fatores no mundo dos negócios que podem gerar dificuldades para o controle do fluxo de caixa.

Os imprevistos, como o nome já diz, não podem ser antecipados, então o ideal é que você mantenha um pouco de dinheiro extra para se proteger quando esses problemas de fato surgirem.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.