Confira 5 dicas de finanças para pequenas e médias empresas

Deixar um comentário

De acordo com pesquisa realizada pela Entrepreneur Weekly, em fevereiro de 2015, a falta de experiência financeira e de gestão é a segunda maior causa de insucessos em startups americanas. Mas como pequenas e médias empresas podem sobreviver em um mercado cada vez mais competitivo e não sofram com problemas financeiros? Confira aqui.

Dicas de finanças para pequenas e médias empresas

Para que você consiga manter as finanças de seu negócio em dia, vale a pena seguir alguns conselhos. Veja abaixo 5 dicas voltadas para pequenas e médias empresas e saiba como se organizar da melhor forma possível.

pequenas e médias empresas
Conhecer os custos é fundamental para organização das contas da empresa. Foto: iStock, Getty Images

 

1. Entenda seu fluxo de caixa sazonal

É muito importante que você saiba como o fluxo de caixa de sua empresa se comporta em todas as épocas do ano. Por exemplo, empresas especializadas em decoração e festas podem ter aumento de demanda em datas comemorativas, mas uma queda na procura em outros momentos do ano. Isso significa que é preciso planejamento do fluxo de caixa, para poder compensar os períodos em que a liquidez diminuirá.

2. Não hesite em pedir descontos

Especialmente no começo de um negócio, pode ser que suas finanças estejam apertadas. Portanto, a busca pela redução de custos deve ser constante. Uma boa dica, nesses momentos, é tentar pedir descontos para fornecedores e outros colaboradores.

Não tenha vergonha nem pense duas vezes, afinal, todo mundo já enfrentou turbulências e e encarou dificuldades financeiras. Portanto, arrisque-se, já que o máximo que pode acontecer é você receber um não como resposta.

3. Não misture as finanças

Apesar e essa ser uma dica muito difundida, há muitos donos de pequenas e médias empresas que cometem esse erro. Muito cuidado para não misturar as finanças pessoais com as contas do negócio. É tentador, especialmente no início, buscar fundos pessoais para cobrir eventuais prejuízos nos negócios. Mas isso não é recomendado e pode levar o empreendedor a maus resultados.

4. Conheça todos os custos

Em um negócio, existem os custos fixos e os custos variáveis. Os últimos só podem ser mensurados através de estimativas – entram aqui gastos como conta de luz e água, por exemplo. Já os custos fixos, como salários, impostos e encargos trabalhistas, podem – e devem – ser previstos. Tenha certeza de que você conhece todos eles.

5. Cuidado com os sacrifícios

Todo empreendimento demanda um pouco de sacrifício, mas é preciso cautela. Se você precisar trabalhar 80 horas por semana para que seu negócio dê lucro, isso significa que ele não é rentável – já que os resultados estão vindo exclusivamente pelos excessos. Isso pode ser bom a curto prazo, mas não será sustentável. Portanto, procure dosar as energias para encontrar um equilíbrio.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas:

Saiba como fazer uma gestão de custos eficiente

Pequenas e médias empresas: veja 5 dicas para reduzir custos

Controles financeiros: confira 4 dicas para gerenciar as finanças

6 cuidados para evitar problemas financeiros na sua empresa