Por que separar as finanças corporativas das pessoais?

Deixar um comentário

Muitas pessoas começam a empreender mantendo seu emprego simultaneamente. A ideia geralmente é esperar até que o negócio seja autossustentável para se dedicar inteiramente a ele. Contudo, quando o assunto são as finanças corporativas, o ideal é separá-las de suas finanças pessoais desde o princípio. Entenda a seguir por quê.

Impostos, impostos, impostos

A principal razão para separar suas finanças corporativas das pessoais é por conta do pagamento de impostos. Fazer declarações de rendas separadas ajudará você a preencher a papelada que deve ser entregue às autoridades tributárias e evitar problemas legais.

Além disso, finanças corporativas e pessoais seguem regras diferentes de tributação, e você poderá até mesmo estar pagando mais impostos por não fazer essa diferenciação.

é necessários separar as finanças corporativas das pessoais
Separar o dinheiro da empresa do seu é essencial para administrar um negócio profissionalmente desde sua criação. Foto: iStock, Getty Images

Identificação de despesas e receitas do negócio

Se você mantém as finanças corporativas misturadas em sua conta pessoal, poderá ter grandes dificuldades na hora de fechar as contas do mês. Obviamente que alguns gastos serão facilmente identificados, mas isso será mais difícil quando você comprar produtos de uma mesma fonte. Por exemplo, ao comprar comida do supermercado para um evento relacionado ao trabalho.

Caso você necessite contratar um contador, ele certamente irá agradecer por as duas contas estarem separadas.

Credibilidade e profissionalismo

Imagem é tudo. Ao pagar uma conta através de um cheque, por exemplo, ter o nome de seu negócio impresso no talão transmitirá uma imagem mais profissional para as pessoas com quem você está negociando. O mesmo vale para quando você for receber um pagamento. Sem separar as contas, seus clientes sempre terão de endereçar cheques e transferências bancárias para sua conta pessoal.

Mesmo que o empreendimento não tenha a sua dedicação em tempo integral, ele não deve ser encarado como hobby.

Além disso, somente conhecendo exatamente o quanto de dinheiro que entra e sai mensalmente de seu negócio você poderá administrá-lo de forma profissional e conseguirá traçar um planejamento futuro, como metas de faturamento.

Como separar finanças corporativas e pessoais

O jeito mais fácil de fazer essa separação é abrir uma conta separada para lidar com as finanças corporativas. Algumas pessoas preferem até escolher outro banco nessa hora, para evitar qualquer tipo de confusão.

Obviamente, porém, ter duas contas separadas não é o suficiente. É essencial que cada operação (seja saque, pagamento ou depósito) seja feita envolvendo a conta certa. Dessa maneira, você conseguirá fazer os registros necessários para deduções de impostos e obter empréstimos de acordo com cada realidade financeira.

Outro ponto importante é definir exatamente o quanto de renda você irá tirar da empresa mensalmente. O ideal é estabelecer um pró-labore que garanta uma reserva e um capital de giro para seu negócio poder ser gerido sem sustos.

Além disso, é essencial que as contas não sejam misturadas em nenhum momento. Evite especialmente pegar dinheiro emprestado das finanças corporativas para sua conta pessoal, uma vez que, caso você não consiga restituir o valor, você poderá não conseguir justificar para onde foi o dinheiro e, consequentemente, poderá enfrentar problemas legais.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.