Saiba como identificar o melhor banco para o seu negócio

Deixar um comentário

Todo empreendedor, seja micro ou grande, depende do relacionamento com instituições financeiras para garantir o crescimento de seu negócio. Afinal, são elas que oferecem empréstimos e financiamentos para compra de equipamentos, por exemplo. Mas como o empresário pode identificar qual é o melhor banco para os seus negócios?

Evidentemente, as taxas de juros e as condições são essenciais, mas não é só isso. A seguir, confira algumas dicas para ajudar você a tomar essa decisão.

como escolher o melhor banco
Ter um bom relacionamento com um banco pode trazer uma série de vantagens para o empreendedor. Foto: iStock, Getty Images

Quais fatores levar em conta

O professor Alfredo Meneghetti Neto, da faculdade de Economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), explica que identificar o melhor banco para os seus negócios envolve especialmente dois fatores: as condições oferecidas e o relacionamento. “A relação com o banco, através do gerente, é fundamental”, salienta.

Segundo Meneghetti, um fator que pode ser interessante para micro, pequenas e médias empresas é avaliar quais bancos oferecem parcerias com instituições de fomento ao empreendedorismo.

“Muitas vezes os bancos oferecem repasses dos BNDES, repasses do Sebrae e repasses de instituições já tradicionais que financiam o microempreendedor”, afirma o professor. “É fundamental buscar se eventualmente existem repasses dessas instituições e quais seriam as condições”.

Como avaliar qual é o melhor banco

É muito simples: para avaliar qual é o melhor banco para sua empresa é preciso pesquisar e comparar. Para o professor Meneghetti, uma boa forma de fazer essa comparação é pesquisando em diversas instituições quais são as condições – taxas de juros, custo total do financiamento, garantias exigidas, prazo para pagamento, carência, etc. – para um  mesmo valor de empréstimo.

Por exemplo, R$ 10 mil. “Com esse valor, o empresário poderia fazer uma pesquisa juntamente aos bancos público e privados, no sentido de avaliar qual seria a melhor a taxa de juros, quais seriam as melhores condições para que se possa firmar eventualmente uma parceria fundamental no que diz respeito a empréstimos”, sugere o professor. “Colocar no papel ou em uma planilha quais são as condições, quais são as ofertas de crédito, é um passo fundamental a ser levado em consideração”, complementa.

Escolha apenas um

Resta ainda resolver uma dúvida: vale mais a pena manter conta em um banco só ou espalhar operações em mais de uma instituição financeira? Para o professor Meneghetti, a resposta é definitiva: escolha um só banco. Com isso, o empreendedor pode tirar mais proveito do relacionamento, inclusive em operações pessoais não relacionadas à empresa.

“Sugiro ter contas tanto de pessoa física quanto de pessoa jurídica em um banco só. Aí sim os benefícios valem a pena”, diz. “No momento em que se compara, se faz uma boa cotação, uma boa relação com os gerentes, os benefícios podem ser estendidos inclusive à pessoa física e a outros parceiros e sócios”, complementa Meneghetti.

Os bancos tendem a oferecer mais vantagens à medida que os clientes trazem um volume maior de negócios para a instituição. “É muito importante ser um bom cliente de um banco só do que um médio ou pequeno cliente de dois ou três bancos “, conclui.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.