Saiba como organizar o fluxo de caixa da sua empresa

Deixar um comentário

Encontrar o equilíbrio perfeito entre despesas e receitas em uma empresa pode ser uma tarefa bastante difícil para quem está começando no mundo dos negócios. Esse encaixe ou desencaixe entre os ganhos e gastos é o que se chama de fluxo de caixa.

O que é fluxo de caixa?

“O fluxo de caixa é um instrumento que relaciona os ingressos e saídas (desembolsos) de recursos monetários no âmbito de uma empresa em determinado intervalo de tempo. A partir da elaboração do fluxo de caixa é possível prognosticar eventuais excedentes ou escassez de caixa, determinando-se medidas saneadoras a serem tomadas”, explicam Alexandre Assaf Neto e César Augusto Tibúrcio da Silva no livro Administração do Capital de Giro (editora Atlas).

fluxo de caixa
Um fluxo organizado permite enxergar eventuaus excedentes ou escassez de caixa. Foto: iStock, Getty Images

Se você é um gestor novato e não tem muita segurança para controlar o fluxo de caixa, é recomendável que comece as atividades com um capital de giro maior, garantindo que todas as contas sejam pagas. Com a prática, o processo todo ficará mais fácil, mas, enquanto isso, veja algumas dicas para organizar de maneira mais eficiente as entradas e saídas.

5 dicas para ter um fluxo de caixa organizado

Organize

Com toda a tecnologia disponível, não faz sentido você anotar todas as despesas e receitas no papel ou em uma simples planilha de Excel. Pesquise por softwares e aplicativos específicos para o controle dos pagamentos e recebimento. Opte por um que, além de possibilitar a diferenciação das contas por categorias, permita a criação de gráficos e relatórios e tenha uma opção para controlar o estoque.

Faça, no programa, um inventário total de suas despesas, receitas, pagamento de impostos, etc. Alguns softwares permitem configurar alertas via e-mail e SMS quando uma conta está no vencimento.

Classifique

Aproveite as funcionalidades do programa para separar cada receita e despesa, prevista ou efetiva, em categorias, discriminando a sua origem. Nas entradas, considere distinguir por forma de recebimento (dinheiro, cartão, cheque, etc.), e nas saídas, diferencie impostos, pagamentos a fornecedores, salários, aluguel, comissões e outros tipos de gasto.

Antecipe

Um bom controle das despesas e receitas contempla um horizonte que corresponde ao ciclo operacional – o período que vai desde a compra da matéria-prima ou mercadoria até a venda do produto para os clientes – da empresa. Por isso, geralmente o controle deve ser projetado para um período mínimo de três meses.

Acompanhe

Muitos especialistas sugerem que a apuração do fluxo de caixa seja feita diariamente. Assim você terá uma precisão muito maior, na comparação com uma checagem semanal, em qualquer análise que você fará sobre as finanças da empresa. Pode acontecer de haver saldos negativos concentrados em um determinado dia da semana, por exemplo. Esse diagnóstico preciso vai facilitar a resolução do problema.

Também é recomendável, ao menos uma vez por mês, revisar o horizonte do ciclo operacional do fluxo de caixa, atualizando os valores e previsões.

Desconfie

Não considere, ao registrar as receitas, cheques e promessas de pagamento. Crie um espaço separado para contabilizar esse tipo de entrada, e só o inclua no fluxo de caixa quando o extrato bancário mostrar que o dinheiro entrou.

Comentários

  1. JoaoCarlos dice:

    Estou começando agora e tenho um monte de dúvidas a respeito... Dá um pouco de insegurança às vezes sobre a melhor forma de gerir o fluxo de caixa, mas todas estas dicas me ajudaram bastante!