PME: como desviar da avalanche de crise?

Deixar um comentário

Não é preciso ser um grande apreciador dos telejornais para perceber que o Brasil vem enfrentando uma grave crise política e econômica. Essa crise tem afetado setores que, há meses atrás, estavam no topo do mercado, com boas taxas de empregabilidade e faturamento em grande ascensão. A construção civil e a indústria petroleira, por exemplo, sempre vistas como potenciais geradoras de riqueza para o País, também foram afetadas por esse cenário hostil.

Foto: Creative Commons
Foto: Creative Commons

Para complicar, como se não bastassem as óbvias consequências de um péssimo momento macroeconômico, pequenas e médias empresas, criadas basicamente para atender grandes empresas, acabam sendo afetadas onde mais dói: na geração de demanda.

Uma avalanche de dificuldades

Aqueles pequenos e médios empreendedores que enxergam nestes setores potenciais grandes oportunidades para serem exploradas e investem exclusivamente neles, são os primeiros a serem devastados pela avalanche de dificuldades que surgem com a crise. Quando estas grandes empresas chegarem ao ponto de sentirem as mazelas geradas pela dificuldade econômica, raramente as PMEs criadas para atendê-las sobreviverão.

Algumas dicas para ganhar fôlego e superar a crise

1. Desconcentre seu faturamento

Se você não tem clientes pulverizados, corra! Não se permita depender de apenas uma fonte de receita. Se assim for, uma pequena contração de seu principal cliente poderá levar você a encerrar as atividades de seu negócio. Se você possui mais de 30% de receita concentrada em um cliente, o sinal amarelo está ligado.

2. Diminua custos

É possível passar por um momento de crise e sobreviver. Em primeiro lugar, defina uma estratégia forte para gerar receita. Em segundo e tão importante quanto, reduza os seus custos! Existem inúmeras maneiras de diminuí-los e uma delas é migrar sua estrutura física para um escritório virtual. Nele, se aluga um espaço dentro de um escritório já pronto, com toda a infraestrutura necessária à disposição, porém sem o compromisso de arcar com salários de recepcionistas, equipes de limpeza, contas de água, luz, internet, etc. A economia nesta migração pode chegar a 70%.

3. Reavalie sua equipe

Será que sua atual equipe está preparada para passar por esse período? É fundamental ter as pessoas certas para apoiar nesse processo crítico. Aproveite a oportunidade para reavaliar a performance de seus funcionários, garantindo que cada salário pago, durante esse período, seja tratado como investimento de curto prazo. Esta é a fase do “agora ou nunca”.

Empresários como Jorge Paulo Lemann defendem que as grandes oportunidades surgem nos momentos de crises. Faça desse momento um marco em seu negócio, observando onde você pode ser melhor e mais eficiente. Existem presentes que somente momentos de dificuldades podem trazer. Agarre-os!