4 dicas para melhorar o processo de seleção de sua empresa

Deixar um comentário

Pequenas empresas geralmente não contam com um departamento de recursos humanos na sua empresa. Por isso, quem fica responsável pelo processo de seleção de funcionários é o próprio dono da companhia. Para muitos, isso soa como uma tarefa fácil, mas uma seleção mal conduzida pode resultar em tempo e dinheiro perdidos.

Afinal, escolher um candidato para preencher a vaga é muito mais do que analisar currículos. O entrevistador deve ter a capacidade de ouvir atentamente, observar reações verbais e não verbais e fazer perguntas eficazes, de acordo com Vivian Rio Stella, especialista em coaching e liderança.

Um bom processo de seleção, afirma Vivian, é planejado com esmero. “Definir o perfil da vaga e do candidato antecipadamente, assim como os critérios, são apenas passos iniciais que ajudam muito.”

processo de seleção
Processo de deve verificar as competências específicas do candidato. Foto: iStock, Getty Images

Como melhorar o processo de seleção

Um processo de seleção bem pensado e conduzido tem mais chances de chegar a um resultado final melhor: a escolha do melhor profissional para a vaga em questão. Mas como fazer para aumentar essa efetividade? Veja abaixo 4 dicas que podem ajudar, de acordo com a especialista em coaching e liderança, Vivian Rio Stella.

1. Descrever precisamente a vaga

Muitas empresas, antes de começar o processo de seleção, divulgam vagas com conteúdo genérico, sem especificar exatamente quais serão as responsabilidades e atribuições do selecionado. Quanto mais informações, maiores são as chances do candidato saber se está apto ou não para exercer determinada função.

2. Divulgar o status do processo a todos os candidatos

Essa prática garante que você mostre transparência da empresa e valorização dos profissionais que fizeram o processo seletivo. Informe que a vaga foi preenchida, mesmo que o candidato não tenha sido escolhido.

3. Verificar competências específicas

Durante o processo de seleção, solicite que o candidato realize ao menos uma atividade bem próxima da que executará caso seja contratado. Assim, você poderá verificar competências específicas que muitas vezes não constam nos currículos.

4. Deixar o candidato falar

Deixe o candidato falar. Só assim você vai poder verificar e avaliar o discurso com base nos critérios ou perfil da vaga, e se isso bate com aquilo que está no currículo do candidato. Isso permite que você valide ou obtenha novas informações a respeito.

E o que não fazer?

Durante o processo de seleção, é preciso que você fique atento para não cometer erros. O primeiro deles, segundo Vivian, é fazer seleção de profissionais sem definir a descrição detalhada da vaga e o perfil do profissional que está sendo procurado.

Outro alerta é não selecionar o candidato apenas por ter tido mais afinidade com ele, pois isso pode acarretar em mais profissionais com o mesmo perfil, o que inibe a diversidade da equipe.

Por fim, não se deve aplicar dinâmicas sem que elas realmente tenham um objetivo claro ou relação com o trabalho. “Esse alerta é importante, já que há modismos no mercado que nem sempre são efetivos para todas as seleções”, alerta.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas:

Recrutamento: como conduzir um processo seletivo

Dinâmica de startups exige recrutamento de perfis compatíveis

Saiba usar recursos para seleção de profissionais no LinkedIn

Entenda como um headhunter pode qualificar o quadro de executivos de sua empresa