Ciclo da indústria de tecnologia e inovação: entenda quais são os riscos

Deixar um comentário

É inegável que os negócios que apostam na tecnologia e inovação estão em alta no mercado global. No entanto, mesmo com a atual conjuntura, são feitas inúmeras especulações sobre o futuro dessa indústria que, assim como a economia, se move em ciclos. Como consequência, a longevidade desse cenário promissor é colocada em dúvida.

Por isso, antes de investir na indústria de tecnologia e inovação, é preciso ter em mente que alguns riscos estão envolvidos, apesar dos índices positivos apresentados por empresas e startups do setor. Se você quer saber um pouco mais sobre esse mercado, continue a leitura.

investir em tecnologia e inovação envolve riscos
Antes de investir na indústria de tecnologia e inovação, é preciso entender os riscos que ela envolve. Foto: iStock, Getty Images

Indústria de tecnologia e inovação

Atualmente se questiona se a indústria da tecnologia e inovação está imersa em uma bolha econômica que pode estourar a qualquer momento – fenômeno como o que ocorreu em 2000 no mercado da internet nos Estados Unidos.

Em seu blog pessoal, Mark Cuban, bilionário americano e dono da equipe de basquete Dallas Mavericks, observa que, em um bolha, sempre existe alguém com uma ótima ideia suscitando o sonho de um retorno bilionário para um investidor. Ele argumenta que a bolha atual tem origem nos investidores privados, que apostam em apps e pequenas empresas de tecnologia.

A existência dessa bolha econômica pode ser contestada, mas o fato é que a indústria de tecnologia e inovação passa por um ciclo. Talvez não seja possível prever o futuro do setor, mas alguns riscos podem ser apontados, um deles relacionados às empresas unicórnio.

Empresas unicórnio

De acordo com a última atualização da CB Insights, o número de “unicórnios” – denominação para empresas avaliadas ao equivalente ou superior a um bilhão de dólares – chega a 125. Entre as mais valiosas, é possível citar a Uber, a Airbnb e o Snapchat.

Segundo um artigo publicado pela Business Insider com base na opinião de especialistas, a multiplicação dessas empresas tem sido, em grande parte, alimentada pelo dinheiro de novos tipos de investidores.

Conforme o texto, um dos riscos é a possibilidade de uma delas tropeçar devido a novos termos de regulamentação ou a um concorrente, o que pode enfraquecer o entusiasmo de diferentes empresas. Outro cenário é a possibilidade de ofertas públicas iniciais de tecnologia apresentarem preços baixos de ações, levando investidores a repensarem suas apostas.

Bolha dos anos 2000

Aprender com os erros do passado é essencial para que as falhas não se repitam. Talvez, com a experiência da bolha que ocorreu nos Estados Unidos entre 1995 e 2000, a indústria possa encontrar meios de evitar que aconteça novamente no setor de tecnologia e inovação.

Na época, a bolha ocorreu porque as empresas de informática, com a febre dos sites, apresentavam alta dos preços de ações. Com isso, muitos investidores apostavam com confiança nas companhias do setor, baseados em projeções equivocadas sobre a internet – o que foi somado a outros fatores.

O resultado: em março de 2000, a bolha estourou, levando inúmeras companhias à falência e abalando o mercado da internet. Apesar da pequena recessão causada nos Estados Unidos nesse período, a indústria voltou a parecer promissora.

Portanto, mesmo parecendo promissora, é preciso ter cautela antes de apostar na indústria de tecnologia e inovação. O primeiro passo é conhecer esse mercado com cuidado, para não investir apenas se baseando nos índices, esquecendo de avaliar os aspectos particulares da empresa na qual deseja investir.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.

Matérias relacionadas

Conheça os desafios de unir empreendedorismo e inovação

Startup Chile aposta em ideias globais para incentivar desenvolvimento econômico

Conheça 6 incubadoras brasileiras e entenda como funcionam

Transformação do bambu é oportunidade de geração de renda no Acre

Saiba o que é o Start-Up Brasil e quais empresas podem participar do programa

ProRadis desenvolve soluções para gestão de diagnósticos por imagem