Controle de ponto: conheça as vantagens e saiba como implantar

Deixar um comentário

Obrigatório para empresas com mais de dez funcionários, o controle de ponto é um aliado de funcionários e gestores no ambiente de trabalho. A ferramenta, fundamental para o gerenciamento de informações, tem númeras opções de modelos, e, por isso, muitas vezes os empreendedores não sabem em qual modelo investir.

Do manual ao biométrico, a importância do controle de ponto é inegável. É ele que faz o registro das horas trabalhadas por cada funcionário. Dessa forma, o gestor tem como saber se o profissional fez horas extras e até mesmo se cumpriu o que está previsto no contrato, o que possibilita o pagamento correto para empresas com salários baseados na carga horária.

Além disso, por meio dele, tanto os funcionários quanto a empresa podem comprovar a carga horária cumprida, caso seja preciso recorrer à justiça trabalhista. Diretor de operações e relações institucionais do Grupo Kaizen, Carlos Marchetti explica que o controle de ponto traz vantagens para os dois lados.

“Fundamentalmente pela credibilidade e transparência que ele passa para ambas as partes, tanto o colaborador quanto o empreendimento sabem que estão protegidos, uma vez que a tecnologia utilizada e fiscalizada pelo Ministério do Trabalho tranquiliza a relação entre empresa e colaborador”, garante.

controle de ponto
Controle de ponto é fundamental para ter registro das horas trabalhadas pelos funcionários. Foto: iStock, Getty Images

Como escolher o melhor modelo

Com tantos modelos nos quais é possível investir, podem surgir dúvidas quanto à melhor opção para a empresa. “O controle de ponto deve ser permeado sempre pelo que as exigências legais solicitam. Estando todas elas cumpridas, a escolha é feita pelo custo-benefício, salientando controles e mecanismos de manutenção”, menciona Marchetti.

De acordo com ele, entre os fatores que devem ser levados em conta na hora de escolher um modelo, estão o cumprimento das normas legais, os controles de acesso, os mecanismos e tempo de manutenção e o preço do produto. Mas quais são as principais opções no mercado?

Tipos de controle de ponto

Conheça quatro modelos comuns nas empresas.

Livro de ponto

Essa é a opção mais econômica para as empresas, na comparação com os modelos digitais. Apesar disso, por ser um controle feito manualmente pelos funcionários, é suscetível a falhas e demanda confiança entre o profissional e o gestor.

Por isso, esse modelo é ideal para empresas com poucos funcionários e funciona melhor em empreendimentos com horários flexíveis, em que os profissionais trabalham em casa ou precisam viajar.

Relógio cartográfico

Com esse modelo, os funcionários inserem um cartão de cartolina no aparelho e o relógio faz a impressão do horário. Nesse caso, é ideal que os os gestores disponham de um monitoramento, para se certificar de que nenhum profissional realizará o registro por outra pessoa.

O relógio cartográfico é vantajoso para pequenas empresas que não podem fazer um alto investimento e é uma boa opção pelo fato de não necessitar de muita manutenção.

Código de barras

O ponto com código de barras possui informações sobre os funcionários e demanda que eles tenham cartões individuais. A empresa pode lançar mão de um relatório com informações, que é enviado digitalmente – o que facilita os processos do departamento financeiro. Por essa razão, ele é o investimento ideal para médias e grandes empresas.

Ponto biométrico

O modelo biométrico é o mais avançado e traz maior segurança para os funcionários e gestores, pois horário de entrada e saída do profissional é registrado por meio da impressão digital. Geralmente, ele é utilizado em prédios comerciais, em que a ferramenta fica localizada nas catracas de entrada.

Apesar das diferenças entre os modelos, para Marchetti, não existe uma opção mais confiável ou vantajosa. “Como há diversas marcas e empresas fabricantes – e, por termo, uma regra de lei que controla a maneira como deve funcionar, os produtos são muito parecidos. O que os diferencia é a durabilidade e manutenção”, afirma.

De acordo com ele, um relógio de ponto eficiente deve atender não somente à empresa, mas à fiscalização e essencialmente aos colaboradores, para que confiem no produto.

A melhor opção

Se você está escolhendo um modelo para sua empresa, lembre-se: é preciso analisar o custo-benefício dos aparelhos e ver qual se ajusta melhor ao empreendimento. Tenha em mente que os digitais, apesar de mais caros, facilitam os processos. Por outro lado, as opções simples são ideais para gestores que não querem fazer grandes investimentos.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.