Inovação: Uma aposta oportuna para as empresas da América Latina

Deixar um comentário

Recentemente, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por motivo da II Cúpula Empresarial das Américas e com o apoio de várias empresas regionais, anunciou o lançamento do programa “Made in the Americas”, uma iniciativa liderada pelo BID que busca ajudar pequenas e médias empresas (PMEs) a inserir-se em cadeias de valor dos grandes compradores.

Made in the Americas é uma oportundiade única, um serviço oferecido dentro da rede social empresarial ConnectAmericas.com, onde os empresários da região podem se conectar com clientes, fornecedores e investidores do mundo todo. Basta somente dar uma olhada na movimentação da dita rede: em um ano, mais de 250 mil pessoas de 170 países e 25 mil empresários de 56 países visitaram a plataforma.

As PMEs na América Latina estão preparadas para fazerem parte destas redes globais de compras e oportunidades? Foto: Creative Commons
As PMEs na América Latina estão preparadas para fazerem parte destas redes globais de compras e oportunidades? Foto: Creative Commons

Ainda que a tal plataforma permita acesso a ferramentas e informação prática, desenhada para ajudar na realização de transações internacionais, é neste contexto que se faz necessário fortalecer o tema da inovação para os possíveis pequenos e médios negócios da região, já que segundo Luis Alberto Moreno, presidente do BID, “as PMEs devem cumprir padrões e práticas internacionais que costumam ser muito exigentes”. É muito importante para a nossa região que sejam cumpridas porque, ainda segundo Moreno, representam 90% das nossas empresas e empregam aproximadamente 50% da nossa força de trabalho.

Inovação para o desenvolvimento

As PMEs da América Latina estão realmente preparadas para fazer parte destas redes globais e compras e oportunidades?

Quanto a produtos e serviços, talvez sim, mas quanto à produtividade e outros temas, talvez algumas precisem introduzir estratégias de mudança. É aí onde a inovação se torna um fator importante.
Inovação vem do latim innovare e se refere a uma mudança que pressupõe uma novidade. A inovação não é um assunto apenas para as grandes empresas.  Ela permite a todo tipo de negócio aumentar sua produtividade e melhorar o controle de qualidade dos seus produtos. Por exemplo, ao incluir a tecnologia nos seus processos, uma PME pode apoiar a melhoria da organização e alcançar as metas desejadas para os grandes compradores.

Alguns assuntos interessantes para alcançar processos inovadores:

  • Não é necessário que a inovação seja radical. Às vezes, com pequenas mudanças, como reduções de custo ou melhoria de produtos existentes, se alcançam melhores resultados que com mudanças radicais caras.
  • A inovação é uma cultura que deve ser criada dentro da empresa.
  • Todos os funcionários, das posições mais altas às mais baixas, devem fazer parte e apoiar as inovações. Este é um trabalho em equipe, que com uma direção correta pode alcançar as mudanças que uma empresa necessita para ser mais eficiente.
  • É importante identificar os talentos e organizar os colaboradores em equipes que permitam introduzir e executar as inovações. Na verdade, o que se busca é resolver problemas e melhorar processos e condições, e ao organizar os colaboradores, com o apoio da alta gerência ou do proprietário, é possível alcançar os objetivos.
  • A inovação não se trata de grandes gastos com mudanças e tecnologia, mas sim da introdução deles nos processos na medida precisa em que tenham o maior impacto possível.
  • As métricas são importantes. Ter indicadores de avanço da mudança ao introduzir uma inovação justifica e orienta a estratégia de inovação estabelecida e consegue motivar todos os participantes em futuras iniciativas.
  • As inovações tecnológicas podem ser realmente potencializadoras da mudança.

Tecnologia e inovação ou inovação tecnológica?

A tecnologia é um ponto chave, na minha opinião, para conseguir melhorar os processos em uma empresa. Se é usada como parte de uma estratégia de inovação pode ser muito eficiente, sem ser muito onerosa, para alcançar melhorias significativas em um processo. Não se trata, porém, de um processo isolado, mas sim de um que envolve várias etapas, que vão desde:

  • Identificação do problema
  • Fazer um estudo de mercado
  • Avaliar soluções
  • Estudar a viabilidade econômica e operacional
  • Desenvolver uma solução com um piloto inicial
  • Introduzir esta mudança com a capacitação e apoio organizacional necessário
  • Avaliação
  • Re-introdução de novos processos

Tudo o que foi exposto aqui é um processo constante de mudança e inovação na empresa. Esperamos sinceramente que mais PMEs na América Latina aproveitem oportunidades globais como as que o BID apresenta, mas para aquelas que ainda não estão preparadas, sempre existem soluções como as inovações, especialmente as tecnológicas, que podem orientá-las nesse caminho.