O corpo fala: conheça a importância da linguagem corporal nos negócios

Deixar um comentário

Gestos feitos com as mãos, postura, sorrisos, olhos atentos. As pessoas muitas vezes nem percebem, mas essas nuances de linguagem corporal são responsáveis por grande parte da comunicação de uma pessoa – habilidade essencial para ter sucesso nos negócios. O corpo fala e, se você nunca prestou atenção nisso, talvez seja hora de começar.

Reparar na linguagem corporal de outras pessoas e de si mesmo é útil pois ela pode revelar características e emoções. Esse tipo de informação pode ser muito importante em uma negociação e, também, pode ensinar você a se comunicar melhor.

O corpo fala: a linguagem corporal nos negócios

Conferencista e assessor de marketing mexicano, Enrique Gómez Gordillo explica que a linguagem corporal é captada e interpretada pelo subconsciente, onde residem conceitos como confiança, segurança e ameaça, por exemplo.

“Uma linguagem corporal adequada facilita as relações e a comunicação no trabalho, na vida diária e nos negócios. Ela reflete o conceito que as pessoas têm de si mesmas e pode responder a padrões culturais e socioeconômicos”, enfatiza.

o corpo fala
Apresentar uma linguagem corporal adequada é fundamental nos negócios. Foto: iStock, Getty Images

Para Lorena García Velarde, especialista em marketing e comércio e palestrante motivacional, no mundo empresarial, essa forma de comunicação é muito importante, porque transmite quem a pessoa é. Segundo ela, por meio da postura corporal e dos gestos é possível saber se uma pessoa é colaboradora, tem uma boa atitude e se sente segura – ou o contrário.

“A comunicação não verbal é, em sua maioria, reflexo do humor ou estado emocional de cada um. Portanto, para aprimorar esse aspecto, é preciso melhorar a gestão das emoções no trabalho”, diz ela.

Como aprimorar a linguagem corporal

Por ser tão importante nos negócios, estar constantemente melhorando o modo que corpo fala é essencial. Mas como fazer isso? De acordo com Gordillo, em termos gerais, é possível seguir dois caminhos: a nível interno e externo.

A nível interno, segundo ele, é preciso trabalhar a autoestima e o autoconceito. “O curioso é que, às vezes, funciona de fora para dentro: as mudanças na linguagem corporal podem influenciar positivamente esses dois fatores, ou seja, pode ‘enganar o cérebro’”, aponta.

Por outro lado, a nível externo, Gordillo sugere que o profissional se aproprie da linguagem corporal de alguém que respeita, adapte à situação que vive e adote como algo próprio.

“Em Programação Neurolinguística, existe a Técnica do Espelho, que consiste em copiar a linguagem corporal do interlocutor para reduzir a ansiedade ou desconfiança que possa existir no momento. Um profissional de negócios pode, ao se interessar genuinamente pelo outro, desenvolver essa habilidade. O mesmo acontece quando se reproduz as palavras e o tom de voz”, afirma ele.

Já para Lorena, em primeiro lugar, o profissional deve levar em conta que deve se adequar ao entorno no qual se move. Portanto, de acordo com ela, a expressão varia em função de a pessoa estar em uma reunião informal ou em uma entrevista de trabalho, por exemplo.

Fatores essenciais da linguagem corporal

Para Lorena, o entorno laboral é cada vez mais exigente e não requer somente uma ótima formação e experiência para que as pessoas ocupem postos de responsabilidade. “No que se refere à comunicação não verbal, a capacidade analítica, paciência, controle de estresse e atitude são habilidades que se destacam entre os profissionais de sucesso”.

De acordo com ela, uma habilidade importante é copiar a comunicação não verbal da pessoa que está à frente. “Desse modo, a outra pessoa se sente compreendida, escutada e acompanhada, ao mesmo tempo em que conseguimos uma comunicação mais fluída”, salienta.

O que fazer?

Gordillo aconselha algumas atitudes simples em relação à comunicação não verbal. “Seja você mesmo, sem máscaras, busque se interessar honesta e genuinamente pelos interlocutores e o que eles dizem. Em encontros cara a cara, concentre a atenção na outra pessoa, seja empático e deixe com que a linguagem corporal fale bem de você”.

Lorena elenca cinco recomendações que o profissional deve levar em conta para aprimorar o modo com que o corpo fala:

1. Pensar o que deseja transmitir antes de se comunicar;

2. Colocar-se na situação contrária e dar o melhor de si;

3. Um mal momento é sinal de que há algo para aprender;

4. O pensamento cria a realidade. Se acreditar que é um excelente profissional, tem razão, e vice-versa;

5. “O mapa não é o território”. Segundo Lorena, essa máxima de Programação Neurolinguística ensina que nem tudo o que cremos é verdade e que existem pontos de vistas distantes da mesma situação. Então, uma circunstância que considerada estressante poderia se converter em uma oportunidade de melhoria, crescimento e aprendizagem.

Colocando em prática

Com essas dicas, você conheceu a importância da linguagem não verbal nos negócios e percebeu por que se diz que o corpo fala. É preciso prestar atenção nos gestos, olhares e postura. E agora, que tal colocar algumas ações em prática para se aprimorar?

Se você gostou das dicas do artigo, compartilhe o conteúdo com outras pessoas. Não esqueça de deixar um comentário e colaborar com a troca de ideias. Boa sorte!

Matérias relacionadas

Modelos de cartões de visita: veja dicas para criar o seu

Confira 5 dicas para montar uma equipe de assessoria de imprensa qualificada

Saiba o que é bootstrapping e como ele pode ajudar no seu negócio

Tem uma startup? Conheça o programa Promessas Endeavor

Como dispensar um funcionário: saiba como enfrentar a situação