Recrutamento: como conduzir um processo seletivo

Deixar um comentário

Por mais importantes e decisivas que sejam as escolhas de quem ocupa os cargos mais altos na hierarquia de uma empresa, é preciso reconhecer que elas de nada vão adiantar se a base da pirâmide não tiver profissionais competentes em suas funções. É com esse pensamento que o recrutamento de funcionários deve ser conduzido.

Em um processo seletivo, não se deve economizar nos cuidados. É comum que, em uma empresa, representantes dos setores com déficit de funcionários se impacientem com eventuais demoras nos trâmites de seleção de novos profissionais. Mas, quando isso acontece, é justamente para diminuir ao máximo as chances de contratar uma pessoa inadequada para a função.

Etapas do recrutamento

De acordo com o Carlos Strougo, diretor da Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos no Rio de Janeiro (ABRH-RJ), não há como precisar uma quantidade ideal de etapas para um processo de recrutamento. Segundo ele, o tempo disponível para a seleção, o número de vagas e as exigências do cargo impactam no tipo de processo. “Algumas fases são indispensáveis e outras opcionais. Vai depender do recrutador”, diz.

recrutamento
A seleção de colaboradores faz parte do planejamento de uma empresa com foco no sucesso em todos os setores. Foto: iStock, Getty Images

Qualquer processo de recrutamento começa com uma triagem inicial. Geralmente, esse filtro é feito analisando os currículos recebidos depois do anúncio da vaga. São excluídos da disputa, imediatamente, aqueles que não cumprem os requisitos ou não possuem a experiência desejada. Entre os que sobram, são selecionados os mais adequados ao cargo para a próxima fase – só aí, já é possível reduzir pela metade o número de candidatos, segundo Strougo.

Depois da triagem, começam as entrevistas com o recrutador, que conhecerá cada candidato pessoalmente. É a oportunidade de saber mais sobre as habilidades descritas no currículo. A partir daí vêm as etapas opcionais. De acordo com o diretor da ABRH-RJ, podem ser realizadas dinâmicas de grupo, provas situacionais, provas de conhecimento específico e avaliação psicológica – por último, é dado o retorno ao candidato.

Caraterísticas a serem observadas

Cada vaga de trabalho exige um profissional com determinado perfil. Cabe ao responsável pelo recrutamento compreender qual são as características exigidas para o cargo. Avaliar os conhecimentos específicos, habilidades e postura para o trabalho é fundamental. “Também ajuda na avalição saber quais são as expectativas de carreira do candidato, até onde ele pretende chegar e quais são as suas reais necessidades de colocação profissional naquela empresa”, salienta Carlos Strougo, da ABRH-RJ.

Complexidade do recrutamento

Quanto mais importante é o cargo, ou seja, quanto mais elevada a posição é no organograma da empresa, menor é a quantidade de profissionais qualificados para a função, segundo Carlos Strougo. O número menor de candidatos e a importância do futuro profissional exigem que o processo de recrutamento seja mais minucioso que o normal.

Assim, é possível lançar mão de exercícios que testam a liderança, capacidade de persuasão, trabalho em equipe e outras habilidades. “São profissionais que precisam ter grande bagagem e por isso são raros. Há também a necessidade de ter recrutadores que estejam à altura dos candidatos, preparados para avaliar os currículos e saber entrevistá-los”, afirma Strougo. Em alguns casos, a empresa valoriza tanto a seleção que contrata head hunters, profissionais especializados em selecionar os melhores executivos do mercado.

Comentários

  1. Carlos S dice:

    Selecionar talentos não é uma tarefa fácil... Por isso, ter posts assim que nos ajudam a entender melhor o processo, ajudam bastante!