Refeitório para funcionários: veja se é a melhor opção para sua empresa

Deixar um comentário

Na hora de planejar a estrutura e os processos da empresa, uma dúvida recorrente entre empreendedores é se vale mais a pena investir em um refeitório para os funcionários ou apenas conceder um valor extra para a alimentação. Para descobrir a resposta, fatores como local, porte do estabelecimento e o tipo de atividade realizada entram em jogo.

O fato é que empresas que dispõem de restaurante ganham algumas vantagens. Aumento da produtividade, redução de atrasos e integração entre os profissionais fazem parte da lista dos benefícios. Mas vale ressaltar: em alguns casos, fazer esse investimento pode não compensar.

Confira abaixo algumas dicas úteis para encontrar a melhor opção para sua empresa. O primeiro passo é investigar a legislação trabalhista do país, para identificar em quais casos o refeitório é obrigatório. Se para o seu empreendimento for opcional, é preciso fazer uma análise, colocando os prós e contras na balança.

refeitorio
Empresas devem analisar qual tipo de benefício de alimentação para os funcionários é mais vantajoso. Foto: iStock, Getty Images

3 vantagens de investir em um refeitório

Aumento da produtividade

Quando os funcionários têm um refeitório à disposição, gastam menos tempo com deslocamentos e passam mais tempo na empresa, o que aumenta a produtividade. Com a diminuição do período de ausência, aumenta a possibilidade de otimização das atividades. Além disso, quando os profissionais permanecem na empresa durante o horários das refeições, a vantagem é que há uma redução dos atrasos ao retornar da pausa.

De acordo com uma pesquisa incluindo empresas de 47 países feita pela consultoria de recursos humanos Buck Consultants, profissionais que são beneficiados com alimentação faltam 47% menos ao trabalho, ao mesmo tempo em que aumentam em 60% a produção de riquezas.

Integração

Quando a empresa possui um restaurante, o almoço se torna um momento de confraternização para os funcionários. Isso pode contribuir para o bom relacionamento entre eles, melhorando o clima no local de trabalho.

Menos rotatividade

Oferecer um local para refeições, aliado a uma alimentação balanceada, traz benefícios aos funcionários. Assim, ocorrem menos faltas na empresa devido a problemas de saúde e, consequentemente, há uma diminuição da rotatividade.

Vale a pena colocar um refeitório na minha empresa?

São tantas opções disponíveis para o empreender que, na hora de optar por uma delas, surgem algumas confusões. Os benefícios podem ser concedidos de diversas maneiras: vale refeição e alimentação, refeições prontas e refeitório são os principais.

É importante que o empreender leve em consideração o tipo de atividade que os funcionários realizam, a localização e a infraestrutura do local de trabalho. O refeitório é mais vantajoso do que outros tipos de benefícios para as empresas que ficam afastadas, onde não há restaurantes por perto – assim o tempo de deslocamento dos profissionais é reduzido consideravelmente.

Além disso, geralmente, o recurso vale a pena para empresas que contam com mais de 50 funcionários, principalmente quando eles precisam fazer mais de uma refeição diariamente.

No entanto, para empresas com infraestrutura limitada e que se localizam a uma distância curta de restaurantes, investir em um local para refeições pode não ser a melhor opção. Nesse caso, o ideal é oferecer vales refeição condizentes com o preço cobrado nos estabelecimentos da região.

Outro cenário se forma quando os funcionários trabalham fora do estabelecimento: aí, o ter um local próprio para refeições não é necessário, e as marmitas são mais vantajosas.

Custos

O empreendedor deve ter em mente que a criação de um restaurante na empresa envolve custos. Além de investir na infraestrutura, é necessário considerar a remuneração dos funcionários que trabalharão no local onde será realizado o serviço de alimentação.

Se você está decidido a investir, há duas opções. Uma delas é o refeitório terceirizado, em que as refeições são produzidas por uma empresa contratada. Outra é o restaurante próprio: nesse caso, a empresa fica responsável pela compra dos alimentos e por contratar um profissional que prepare a comida.

Portanto, para analisar se esse recurso é a melhor opção para sua empresa, leve em conta a localização, o tipo de trabalho realizado e o número de funcionários contratados. Reflita se esse investimento vale a pena ou se é melhor apostar em outro tipo de benefício.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.

Matérias relacionadas

Quanto custa abrir uma empresa? Veja principais gastos

Franquias de alimentação: conheça as vantagens e o mercado brasileiro

Setor de alimentação é aposta conveniente para indústria nacional

CLT ou PJ: confira vantagens e desvantagens de contratar Pessoa Jurídica