Após três anos de embargo, Japão pode voltar a comprar carne bovina brasileira

Deixar um comentário

Neste mês de agosto, técnicos do governo japonês visitam o Brasil para inspecionar laboratórios, frigoríficos e fazendas. O motivo? A possibilidade real de o país asiático derrubar as barreiras impostas desde 2012 e voltar a comprar carne brasileira.

Embargo de três anos

Em 2012, o Japão anunciou o embargo à carne bovina brasileira após a confirmação da ocorrência do agente causador da doença da vaca louca em um animal no Paraná, ocorrida em 2010.

Japão pode voltar a comprar carne brasileira
Japão parou de comprar carne brasileira após ocorrência da doença da vaca louca, mas pode reabrir mercado. Foto: iStock, Getty Images

O marco decisivo para o Japão voltar a comprar carne brasileira veio no início de julho de 2015, quando a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, viajou ao Japão e se reuniu com o ministro da Agricultura, Floresta e Pesca do Japão, Yoshimasa Hayashi. No encontro, Abreu garantiu ao japonês que o Brasil tem “todas as condições” de fornecer carne bovina para o mercado de seu país.

“Não temos nenhuma dificuldade em adaptar nossas regras sanitárias ao Japão. Estamos prontos para cumprir e temos todas as condições para exportar. O Japão é especialista em praticamente tudo e nós brasileiros somos especialistas na produção de alimentos. Essa compreensão por parte do mundo é importante para nós, como é também para o Japão”, afirmou a ministra, em nota.

Durante sua visita ao Japão, a ministra convidou as autoridades japonesas a conhecerem as instalações brasileiras. “Respeitamos as decisões japonesas, mas gostaríamos que conhecessem de perto nosso sistema de inspeção, que é confiável e um dos mais modernos do mundo”, disse Abreu.

Na época do embargo, o país asiático era o destino de apenas 0,14% das exportações brasileiras de carne bovina. Isso se dava pelo fato de o Japão importar principalmente produtos industrializados e se manter fechado a importações do tipo in natura brasileira.

Contudo, a expectativa é que, após o fim do embargo, o Japão passe a também comprar carne in natura do Brasil. “Esperamos não só resgatar o mercado japonês de carne bovina processada, mas também da carne in natura“, declarou Kátia Abreu.

Seguindo os passos dos Estados Unidos

A decisão do Japão de analisar a possibilidade de voltar a comprar carne bovina do Brasil veio na esteira da decisão do governo dos Estados Unidos de liberar a importação de carne in natura de 14 estados brasileiros, anunciada no final de julho. O embargo americano à carne brasileira já durava 15 anos, e era decorrente do registro de casos de febre aftosa no Brasil.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carne (ABIEC), o Brasil fechou o ano de 2014 com faturamento acima de US$ 7 bilhões no comércio de carne, fruto da venda de mais de 1,5 milhão de toneladas. Segundo a entidade, os principais compradores de carne brasileira são Hong Kong, Rússia, União Europeia, Venezuela e Egito.

Com o fato de o Japão e os EUA voltarem a comprar carne do Brasil, a tendência é que os números venham a ser ainda mais positivos no futuro próximo, ao menos em volume de vendas, uma vez que o resultado do faturamento depende também de questões cambiais.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.

Matérias relacionadas

Alimentação saudável: saiba como aproveitar a tendência

Carne argentina: entenda o embargo americano que se encerrou após 14 anos

Agricultura urbana: confira 7 dicas para começar a plantar na cidade