Como proceder na busca pelo produto mínimo viável para seu negócio

Deixar um comentário

Se você está começando um negócio, seu primeiro objetivo deve ser encontrar um produto ou serviço capaz de suprir as necessidades e resolver os problemas de seus consumidores. No entanto, para isso, serão necessários muitos testes. É aí que entra o produto mínimo viável. Mas afinal, o que é e como surgiu esse conceito?

O produto mínimo viável vem do inglês, minimum viable product, ou MVP. E ele significa justamente isto, um produto capaz de ser executável com o menor gasto possível, mas que ainda assim seja funcional e permita que o empreendedor execute os testes de seus conceitos através dele. Assim será possível corrigir eventuais erros e problemas até chegar à versão final.

produto mínimo viável
Produto mínimo viável deve ser feito para ser funcional e consiga mostrar capacidade do negócio ao mercado. Foto: iStock, Getty Images

 

O conceito foi criado e difundido na obra chamada Lean Startup, de autoria do escritor e consultor Eric Ries. O livro é uma das bases utilizadas para empreendedores que estão iniciando no cenário das startups, pois apresenta um conceito mais barato de negócios, que tem como objetivo enxugar custos a fim de tornar os índices de escalabilidade ainda mais competitivos dentro do mercado.

A busca pelo produto mínimo viável

O objetivo do produto mínimo viável é testar hipóteses. A CEO do Keynote Speaker, Selma Prodanovic, explica que esse é o principal meio para testes. “Você desenvolve um protótipo para ver se sua suposição funciona e, especialmente, para testar o mercado”, relata. Além disso, Prodanovic cita outros objetivos do MVP: encontrar parceiros estratégicos e também verificar o potencial de produção da empresa.

É preciso ressaltar aquilo que o nome já diz, mas que as vezes passa despercebido pelos empreendedores. O MVP não pode ter suas funções reduzidas nem ser um protótipo barato. É preciso que o produto seja viável e mantenha a qualidade, sendo assim capaz de conquistar um público inicial e demonstrar suas vantagens em relação a concorrência quando for lançado na versão final.

Em artigo publicado no The Next Web, o fundador do Crew, Mikael Cho, concorda com essa ideia. Segundo ele, a construção de um produto mínimo viável pode fazer com que você economize tempo e dinheiro, mas isso não constitui um convite aberto para produzir algo de qualidade inferior.

Assim, você precisa se perguntar se esse produto tem a qualidade necessária para resolver o problema do cliente. Partindo desse princípio, e levando em mente essa questão durante todo o processo, pode ser que fique mais fácil pensar na elaboração do protótipo de seu negócio.

E aí, gostou de saber mais sobre como a sua empresa deve proceder na busca pelo produto mínimo viável? Então aproveite para compartilhar esse conteúdo com seus amigos, colegas e colaboradores através de seus perfis nas redes sociais.

Matérias relacionadas:

Lean startup: conceito de negócio ajuda a potencializar ciclo da empresa

MVP: o produto mínimo viável como ferramenta de teste para startups

Conheça a diferença entre produto e serviço

Inovação é a chave para desenvolvimento de produto de sucesso