Confira 6 dicas para definir o salário dos sócios da empresa

Deixar um comentário

Há quem pense que empresário não tem salário. Afinal, a retirada dos lucros é diferente, pois varia de mês a mês – há inclusive períodos de prejuízo, por exemplo. Mas o sócio de uma empresa que participa do dia a dia da companhia, realizando funções administrativas, pode receber o pró labore, uma remuneração fixa mensal de acordo com o serviço que ele desempenha.

A ideia é que o empreendedor conte com esse dinheiro para pagar as suas despesas pessoais, à parte dos lucros. A diferença do pró labore para o salário celetista de um funcionário regular é que não há garantias trabalhistas como FGTS e 13º salário, por exemplo.

salário
Pró labore funciona como salário para executivos, mas é diferente de distribuição dos lucros. Foto: iStock, Getty Images

6 dicas para definir o salário do sócio

Mas como saber qual é a remuneração adequada para o sócio da empresa? Alguns fatores devem ser levados em conta nessa hora. Veja quais são eles e saiba como definir o pró labore sem apertar o orçamento:

1. Estipule a distribuição no plano de negócios

O ideal é que a distribuição do pró labore esteja definida já no plano de negócios. Ele deve estar estipulado também no contrato social da empresa, mas sua presença no plano de negócios evita que haja prejuízos futuros no caixa do empreendimento, pois há um melhor planejamento financeiro.

2. Identifique as funções atribuídas a cada cargo

Com o plano de negócios definido e o pró labore estipulado, é importante que o empreendedor identifique as funções de cada um na empresa. Como os acionistas recebem a participação nos lucros, o pró labore fica restrito a quem conhece o dia a dia da empresa e está presente na rotina dos negócios. Ao saber as funções de cada um, fica mais fácil definir o salário.

3. Faça uma pesquisa de mercado

É importante saber que não há privilégios nessa hora – a remuneração deve ser coerente com o mercado e o trabalho do sócio. Pesquise quanto executivos que desempenham a mesma função recebem em empresas do mesmo porte e considere isso ao definir o valor do pró labore.

4. Fique atento aos impostos

Assim como outros gastos da empresa, o pró labore também está sujeito a impostos. Não se esqueça de calculá-los antes de chegar ao valor final.

5. Mantenha a regularidade

As retiradas devem ter a periodicidade estabelecida previamente. Do contrário, pode haver um descompasso com o planejamento de caixa da empresa. Todos devem estar cientes e respeitar a prática, que visa o melhor para a saúda financeira do negócio.

6. Se for uma empresa iniciante, cuidado

Se sua empresa está começando agora, fique muito atento. Com faturamento baixo e sem fluxo de caixa adequado, grandes salários podem ser um risco. Se quiser aumentar o pró labore, antes tenha certeza que a empresa já tem o retorno necessário. A remuneração, acima de tudo, deve ser algo que beneficie seus negócios, e não que traga prejuízo e dores de cabeça.

E aí, gostou das dicas de como organizar o salário e a distribuição do pró labore para os executivos? Com um pouco de planejamento e atenção às funções executadas, pode-se chegar ao valor correto de distrbiuição. É importante que você mantenha um padrão em relação ao resto do mercado e atente aos impostos que incidem nesses pagamentos.

Se você tem alguma dúvida, opinião ou sugestão sobre o assunto, não deixe de comentar abaixo. E aproveite também para compartilhar o conteúdo nas redes sociais, com seus amigos, colegas e colaboradores.