E-commerce no Brasil: confira as principais tendências e insights

Deixar um comentário

O crescimento vertiginoso do e-commerce no Brasil motivou muitos empresários e comerciantes a migrarem para o mundo virtual. Mas, para ter sucesso, não basta expor os produtos em uma loja online e prestar um bom serviço ao cliente – é preciso conhecer as tendências do setor, desvendando o comportamento dos consumidores.

Para tornar essa tarefa mais fácil, selecionamos duas pesquisas nacionais e filtramos alguns dos assuntos e dados mais relevantes. Quem analisa os números e nos ajuda a compreender as tendências é o especialista e consultor em e-commerce Thiago Sarraf. Continue a leitura e confira alguns insights sobre e-commerce no Brasil.

Crescimento acentuado é marca do e-commerce no Brasil

Ao longo dos últimos anos, a receita gerada com vendas online vem crescendo no Brasil. Em 2014, de acordo com dados do 31º Relatório WebShoppers, da E-Bit, o volume chegou a R$ 35,8 bilhões, o que representa um aumento de 24% em relação a 2013. Para 2015, o faturamento previsto é de R$ 43 bilhões.

Esse crescimento tem várias explicações, mas é baseado, principalmente, na popularização do comércio eletrônico entre a população. De acordo com a E-bit, mais de 61,6 milhões de pessoas já fizeram pelo menos uma compra online no Brasil. Apenas em 2014, 10,2 milhões de pessoas realizaram sua primeira compra no ambiente virtual.

O especialista em e-commerce Thiago Sarraf projeta uma desaceleração do crescimento para os próximos anos. “A tendência é que o setor continue crescendo, mas, provavelmente, em uma velocidade menor do que o padrão dos últimos anos. É preciso considerar fatores como a crise atual da economia e a grande concorrência das vendas online”, explica.

e-commerce no Brasil
Conhecer as tendências do comércio eletrônico é obrigação para quem deseja crescer no ramo e aumentar as vendas. Foto: iStock, Getty Images

4 insights sobre o e-commerce no Brasil

Realizada entre junho e julho de 2014, a Primeira Pesquisa Nacional do Varejo Online Sebrae-Ecommerce Brasil revelou alguns insights interessantes para quem se dedica ao e-commerce no Brasil.

Além de identificar padrões de comportamento do consumidor, a pesquisa indicou tendências e carências do setor. Confira as principais revelações:

Mais de 40% das empresas de e-commerce foram criadas entre 2013 e 2014

Esse dado pode ser creditado ao crescimento vertiginoso do setor nos últimos anos. Na opinião de Sarraf, há um único caminho para quem deseja se destacar no mercado virtual diante de tanta concorrência: “Trabalhar com dedicação e apostar, quem sabe, em setores ainda pouco explorados pelo e-commerce no Brasil”.

A taxa média de abandono do carrinho de compras é de 57,7%

O consumidor adiciona os itens ao carrinho de compras, prossegue pelas etapas de confirmação do pedido e de pagamento, mas, de repente, desiste da compra. “Entre as razões para isso estão o preço alto, a política de verba mal esclarecida, a impossibilidade de salvar o carrinho e voltar a ele durante uma próxima pesquisa, formulários para cadastro muito extensos, poucas opções de pagamento e demora na entrega”, aponta Sarraf.

As Regiões Sudeste e Sul representam 84,1% das empresas de e-commerce no Brasil

Diante desse dado, seria possível afirmar que investir em maneiras de cativar os consumidores das outras regiões é uma boa estratégia, certo? Talvez não.

“Outros levantamentos também mostraram que o acesso à internet e o hábito de realizar compras online são maiores nessas regiões do que no resto do país, portanto, antes de aproveitarem a defasagem, os novos empresários precisam avaliar se a procura por uma loja virtual no segmento que se quer atuar é considerável em regiões como Nordeste, Centro-Oeste e Norte. Às vezes, ainda não vale a pena investir”, esclarece o especialista.

O canal de conversão de vendas mais eficaz é o de busca orgânica, com 77,2%

De acordo com a pesquisa, aparecer entre os primeiros resultados na busca orgânica pelos produtos ainda é a melhor forma de conversão. “Investir em palavras-chave relevantes e produzir conteúdo original para o site são estratégias que deveriam ser seguidas por todos os empresários virtuais”, orienta Sarraf.

Agora que você conhece algumas das principais tendências do e-commerce no Brasil, chegou a hora de dividir a informação. Compartilhe esse artigo nas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Se você tem dúvidas ou sugestões, deixe seu comentário e contribua com a troca de ideias.