Geração de conteúdo: 7 erros que você não pode cometer

Deixar um comentário

Depois de meses de planejamento e de muito titubear, finalmente você decide investir na geração de conteúdo para impulsionar o marketing e a comunicação da sua empresa. Só que os resultados não aparecem e o desempenho fica abaixo do esperado. Qual o problema?

Não é hora de colocar a culpa nas limitações técnicas nem de atribuir o fraco desempenho à preferência dos usuários. Neste artigo, você vai conhecer sete erros comuns na produção conteúdo, a fim de analisar a própria performance. Prepare o bloco de anotações e boa leitura!

Geração de conteúdo fortalece a marca

A principal vantagem de gerar conteúdo próprio para as redes sociais, para o blog empresarial ou mesmo para o site da empresa está em se estabelecer como uma autoridade no assunto.

geração de conteúdo
Fortalecer a credibilidade da empresa é uma das principais vantagens da geração de conteúdo institucional. Foto: iStock, Getty Images

E o resultado disso pode ser medido pela credibilidade: os consumidores tendem a confiar em quem consegue comprovar a qualidade do seu trabalho e o domínio sobre o assunto no qual é especialista.

Além disso, a geração de conteúdo permite posicionar a marca no mercado e obter destaque na visibilidade em relação à concorrência. Mais do que ajudar o seu público-alvo com a expertise obtida com o seu negócio, você se transforma em uma referência.

José Luiz Martins, diretor de planejamento da agência Hub Comm, especializada em geração de conteúdo, explica que há basicamente três formas de engajar a audiência:

– Conteúdos de impacto: emocionam as pessoas

– Conteúdo educativos: solucionam dúvidas dos clientes e desmitificam boatos

– Conteúdos de engajamento: despertam o interesse dos clientes por temas relacionados à empresa.

7 erros que você não pode cometer

Listamos, a seguir, sete erros comuns na hora de gerar conteúdo. Confira:

1. Ignorar o público-alvo

Antes de começar a produzir conteúdo, você precisa estudar o público-alvo e entender como vai atingi-lo. Avalie o comportamento dos consumidores e responda: o que meu público realmente quer ler? Sem essa preparação, o material que você produzir não irá atingir seus potenciais clientes.

2. Abordar assuntos sem relação com a empresa

Pode ser tentador versar sobre a situação político-econômica do país, sobre a causa feminista ou sobre a arbitragem do campeonato de futebol da sua região. São temas polêmicos e que geram audiência – mas é dessa audiência que você precisa?

3. Priorizar a quantidade em detrimento da qualidade

Se você não puder manter a qualidade dos materiais, não faz sentido continuar produzindo com uma rotina industrial. Sem um conteúdo relevante, você não conseguirá engajar o público-alvo, independentemente de quantos artigos forem publicados.

4. Exagerar na complexidade

Evite criar textos muito longos e adotar uma linguagem complexa. Quanto mais denso for o material, menos pessoas serão impactadas. Além disso, um conteúdo muito complexo, que precisa ser estudado para ser compreendido, tende a ser ignorado no ambiente efêmero da web, em que os usuários navegam por diversas abas e não hesitam em fechá-las.

5. Focar apenas em um tipo de conteúdo

A web oferece diversos mecanismos para qualificar o conteúdo. Não deixe de avaliar a possibilidade de inserir imagens, infográficos, vídeos e gifs, se forem relevantes para a história que está sendo contada. Focar apenas em texto pode gerar um engajamento menor.

6. Copiar conteúdo de concorrentes

Jamais copie conteúdo de outros sites e portais. Além de pecar contra a ética e ser um recurso mal visto pelos clientes que identificam as cópias, essa prática pode ser condenada judicialmente e também é penalizada pelos motores de busca, já que os algoritmos diminuem a relevância das páginas que copiam material de terceiros.

7. Exagerar no apelo aos produtos e serviços

Por fim, vale lembrar que não é de bom tom fazer publicidade e tentar vendê-la como conteúdo isento e imparcial. Além de perder credibilidade com os consumidores, isso afasta os clientes do seu conteúdo. Procure amenizar a abordagem aos seus produtos e serviços e não deixe de esclarecer o propósito de cada material: jamais tente enganar o usuário.

dicas para a geração de conteúdo

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas