Internet das coisas: o que é e como mudará a sua vida

Deixar um comentário

A Internet das coisas é um conceito de tecnologia que descreve a conexão de objetos do cotidiano à internet. É o momento em que praticamente tudo estará conectado à rede de uma maneira inteligente, não apenas computadores, tablets e smartphones.

Nesse cenário, o mundo físico se tornará um grande sistema de informações interconectado. E ele está se tornando realidade, pouco a pouco.

internet das coisas
A Internet das coisas possibilita um sistema de informações interconectado. Foto: iStock, Getty Images

Internet das Coisas: o mundo conectado

Um objeto que pode ser identificado digitalmente torna-se ainda mais relevante. Ele deixa de se relacionar apenas com uma pessoa e passa a estar conectado com outros aparelhos próximos e uma base de dados. Quando múltiplas “coisas” agem de forma integrada, passa a se ter um chamado “ambiente inteligente”.

Na realidade, este cenário já está presente em nossas vidas. Estima-se que, em 2015, o número de dispositivos conectados à internet chegue a 15 bilhões. E, em 2020, 50 bilhões.

A Internet das Coisas está presente em uma pessoa com um monitor de implante de coração, um animal de fazenda com um chip biológico capaz de retransmitir informações, um automóvel com sensores que alertam o motorista quando a pressão do pneu está baixa, etc. Ou seja, qualquer objeto natural ou manufaturado capaz de ser identificado por um IP que tenha a possibilidade de transferir dados para uma rede.

Como funciona a Internet das Coisas

Cada vez mais, a Internet das Coisas deixa de fazer parte de um futuro de cinema e se apresenta no dia a dia de hoje. Os dispositivos vestíveis, por exemplo, como os relógios inteligentes e o Google Glass (óculos conectado à internet) conectam objetos de uso cotidiano a uma rede mundial de dispositivos.

Em pouco tempo, chips implantados na pele, carros inteligentes, lâmpadas acionadas remotamente, aparelhos de ar-condicionado controlados à distância e geladeiras que reduzem sua temperatura para se adequar à chegada do proprietário serão comuns.

Como surgiu o termo

A definição mais precisa de Internet das Coisas é atribuída a Kevin Ashton, especialista em inovação digital. Ele explicou o potencial desse cenário da seguinte forma:

“Se nós tivéssemos computadores que soubessem tudo que há para saber sobre coisas – utilizando informações que reuniram sem qualquer ajuda de pessoas -, nós poderíamos rastrear e contabilizar tudo, reduzindo em muito o desperdício, perdas e custos. Nós saberíamos quando coisas precisariam ser substituídas ou reparadas, e quando elas estão inteiras ou passaram do seu melhor”, disse Ashton em uma palestra em 1999.

No futuro

Em um cenário futuro, estima-se que um automóvel poderá se comunicar com outro (sem intervenção humana), avisando sobre uma freada brusca ou acidente, ou até mesmo que os carros se organizem no trânsito sem que precisemos dirigi-los.

Provavelmente, também poderemos utilizar roupas e acessórios corporais com sensores que alertem os médicos assim que algo fora do comum for detectado. Da mesma forma, a nossa geladeira poderá fazer um pedido para o supermercado dos produtos que estiverem para acabar.

Startups

Parece ficção? É para essa realidade que a sua empresa deve se preparar. Se você tem uma startup ou empresa de tecnologia, deve levar em conta esse cenário ao criar novos produtos e serviços.

Se não o fizer, você vai se arrepender ao receber em casa um drone entregando uma compra feita online ou quando ver seus amigos vestindo relógios vestíveis ou quando perceber, ao olhar em volta na sua casa, que os objetos mais importantes estão todos conectados à web.