MVP: o produto mínimo viável como ferramenta de teste para startups

Deixar um comentário

Se você está na fase inicial da sua startup e não sabe exatamente como será a aceitação do seu produto, nem se ele terá espaço no mercado, uma boa alternativa é investir no Produto Mínimo Viável: o MVP. Mas o que é isso?

O MVP é uma versão prévia do produto ou serviço, utilizada para testar o modelo de negócios da empresa. O conceito foi desenvolvido e popularizado pelo escritor e consultor Eric Ries, em um dos livros mais utilizados por empreendedores que começam startups, chamado Lean Startup, no qual apresenta um conceito ágil e enxuto ao processo empreendedor.

É importante não interpretar de forma errada o conceito de MVP. Não se pode confundir com uma versão do produto com funcionalidades reduzidas, apenas para ser entregue rápido. Também não confunda com barato: o MVP não é apenas mínimo, ele deve ser viável. O que deve ser levado em conta é que, para ter essa característica, o produto deve ter qualidade, o que pode custar tempo e dinheiro.

MVP
Empreendedor não deve confundir produto mínimo viável com velocidade e redução de custos. Foto: iStock, Getty Images

Características do MVP

O MVP deve possuir algumas características que o definem como tal. Entre elas, estão:

– Ter qualidade suficiente para que as pessoas comecem a utilizá-lo.

– Demonstrar suficientemente o benefício trazido pelo produto, afim de manter e fidelizar os usuários iniciais.

Fornecer para o desenvolvedor um ciclo de feedback que seja capaz de orientar o empreendedor para desenvolvimento e aperfeiçoamento futuro daquele produto.

Como apresentar seu MVP

Se você passou alguns meses pensando em um produto, conseguiu desenvolvê-lo, mas agora não sabe como apresentar esse MVP, existem algumas alternativas que podem facilitar a sua vida. Confira três delas:

Transforme um vídeo em viral

Com a velocidade da informação atualmente, a aposta por um vídeo pode ser a melhor alternativa. Com uma ideia criativa, você pode viralizar seu produto e, em alguns casos, atingir um alcance muito maior do que aquele projetado inicialmente.

Apresentação de slides

Pode parecer algo simples, mas o marketing e o lançamento do produto em si não precisam necessariamente andar juntos. Você pode apenas demonstrar a sua proposta, sem algo prático. Depois de aprovada a ideia, você pode passar para a etapa seguinte.

Crie um protótipo

Essa é uma das maneiras mais tradicionais de MVP. Funciona muito bem caso sua startup seja relacionada ao comércio eletrônico, por exemplo.

Os tipos de MVP

São dois os tipos mais comuns de MVP. Veja quais são eles e quais as diferenças entre os ambos.

MVP de baixa fidelidade (Lo-Fi)

Este tipo de produto mínimo viável é usado para validar premissas básicas e iniciais de um negócio, como saber se as pessoas pagariam determinado valor, ou ainda se tem o formato ideal, entre outros. Tem formato mais simples que o MVP Hi-fi (pode ser em slide ou vídeo, por exemplo).

MVP de alta fidelidade (Hi-Fi)

Já o produto mínimo viável de alta fidelidade geralmente contém a proposta de valor, ainda que só apresente funções centrais do projeto.