Pensar em mobile é essencial ao planejar e-commerce

Deixar um comentário

Não estar presente nas plataformas mobile representa abrir mão de participar de um mercado em ampla ascensão. Uma projeção do site Statista.com estima que em 2019 o tráfego de dados entre dispositivos móveis na América Latina será de aproximadamente 3.495.963 terabytes por mês, contra 200.900 terabytes/mês alcançados em 2014.

Os números são reforçados pelo último relatório anual apresentado pela “guru” da Internet Mary Meeker, sócia da Kleiner Perkins Caufield Byers, em maio de 2014. Segundo ela, com informações extraídas do StatCounter, 17% da navegação web na América do Sul na ocasião já era feita através de mobile, contra 6% em maio do ano anterior. E isso só vai aumentar.

Segundo um estudo da eMarketer, espera-se que, até 2017, 25% das compras online nos Estados Unidos sejam feitas a partir de dispositivos móveis. O comércio eletrônico para dispositivos móveis deve, então, ultrapassar a marca dos US$ 100 bilhões movimentados com transações (contra US$ 13 bilhões em 2011).

mobile
É importante estar atento à evolução dos sistemas operacionais que dominam o mercado para ver onde investir. Foto: iStock, Getty Images

 

Todos esses dados apontam para um mercado crescente, repleto de oportunidades e ávido por consumo. Mas é preciso cuidado antes de se lançar na missão de colocar sua marca numa plataforma móvel. Primeiro, é necessário reconhecer o que vai ser melhor para o seu negócio quando ele estiver pronto para ingressar no m-commerce.

Mobile app x site mobile

Um site responsivo, que se adapta a diversas telas, pode servir para seu e-commerce. Bem desenvolvido, ele pode entregar ao usuário a melhor navegação para o fim desejado, seja ela mobile ou não.

Por outro lado, se o uso da sua plataforma é recorrente entre os usuários do seu sistema, talvez um app possa ser a melhor solução para dispositivos móveis.  Tudo dependerá de fatores como: pesquisa de mercado para conhecer o cliente e o que a concorrência oferece, tempo que se tem até o lançamento da aplicação na nova plataforma e dinheiro disponível para investir em tecnologia e em pessoas.

Com conhecimento, tempo e dinheiro, é claro, nada impede que você esteja presente em todos os ambientes mobile. Independentemente da opção escolhida, o importante é facilitar a navegação do cliente, tornando-a o menos burocrática possível. “Quanto mais obstáculos você incluir no caminho do consumidor até a compra final, maiores são as chances dele desistir antes de finalizar o processo. Simplifique os caminhos, utilize botões de fácil visualização e só coloque informações necessárias”, explica o site AppMobile.

Mobile: de olho nos sistemas operacionais

É importante ainda estar atento à evolução dos diferentes sistemas operacionais que dominam o mercado de dispositivos móveis para ver onde investir no momento. Hoje, Android, iOS e Windows Phone são os líderes, mas há poucos anos quem mandava na maioria dos aparelhos era o Nokia Symbian, por exemplo.

Conforme escreve Alan Koerbel, sócio-fundador e diretor da eSauce Marketing e Tecnologia, empresa especialista em Ampliar Mercados com Marketing Digital, E-commerce e Aplicativos para celular, “cada sistema operacional funciona exclusivamente com uma tecnologia de desenvolvimento. Os programadores costumam desenvolver a mesma solução para cada sistema operacional, elevando o custo e tempo do projeto”.

Pesquise, portanto, qual a melhor solução para o seu negócio. Há diversos softwares que podem auxiliar nesse processo. O importante é não ficar de fora de um mercado tão promissor.

Comentários

  1. Carlos S dice:

    É verdade, dizem que é o segmento do digital que mais cresce. Precisamos estar preparados para o mobile!