Saiba como vender ideia para um investidor anjo

Deixar um comentário

Pensou em um negócio inovador, com grande probabilidade de sucesso, mas não tem o capital inicial para tirá-lo do papel? O que falta a você, nesse caso, é a capacidade de vender a ideia para um investidor anjo. Conseguindo isso, além do dinheiro necessário para começar a startup, você arranja um mentor e conselheiro para ajudar nas decisões futuras.

Anjos têm portfólio variado

De acordo com o trabalho Financiando empresas de alto crescimento – O papel dos investidores anjo (Financing High-Growth Firms – The Role of Angel Investors), publicado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OECD, na sigla em inglês), os investidores anjo, normalmente, preferem ter uma carteira de investimentos variada.

“Isso permite a eles diversificar o risco, pois sabem que uma grande parte das companhias não vai ter sucesso, enquanto outras vão”, expõe o trabalho. Assim, mesmo que apenas uma ou duas deem certo, o anjo espera que o retorno seja alto a ponto de cobrir o investimento perdido nas startups que faliram e gerar algum lucro. E, como investem em várias ao mesmo tempo, eles preferem ficar com uma porcentagem menor da companhia.

vender a ideia
O discurso para vender uma ideia a um investidor deve ser curto, claro e objetivo. Foto: iStock, Getty Images

Essa disposição para investir em várias startups é um ponto a favor, mas não se empolgue demais. Além de a concorrência ser grande (certamente há muita gente tentando vender a ideia), o anjo não faz caridade, apesar do que o nome sugere. Ele não vai investir na sua empresa só porque foi com a sua cara ou quer dar uma força, mas sim por acreditar que isso trará retorno financeiro.

Modelo de negócio ajuda a vender a ideia

A primeira coisa que o investidor anjo quer ver quando alguém apresenta uma ideia é o modelo de negócio. Atenção: não confunda com o plano de negócios. Diferentemente do plano, o modelo é um documento resumido, proposto pelo holandês Alex Osterwalder no livro Business Model Generation: Inovação Em Modelos de Negócios (editora Alta Books).

A ideia é resumir a proposta de negócio em apenas uma folha, com os seguintes itens indispensáveis: atividade principal, oferta de valor, recursos, parcerias-chave, segmentos de clientes, relacionamento com o cliente, canais de comunicação e distribuição, estrutura de custos e fontes de receita.

Ao vender a ideia para um investidor, se você tiver na ponta da língua como todos esses itens essenciais vão funcionar, suas chances aumentam. Ter claro quais serão as fontes de receita é, talvez, o mais importante, pois muitos de seus concorrentes não apresentarão uma proposta verossímil para a monetização da startup.

Abordagem para vender a ideia

Agora que você tem o modelo de negócio bem estruturado, basta partir para a prática: vender a ideia para um investidor anjo. Para isso, você precisa bolar um pitch. Esse é o termo usado no mundo das startups para se referir ao discurso do empreendedor ao apresentar a proposta para o investidor.

É fundamental que o pitch seja claro, curto e objetivo, porque é possível que a sua oportunidade surja em uma conversa de corredor ou elevador. Para ter essa chance, passe a frequentar eventos nos quais os investidores circulam e não tenha vergonha de se apresentar e falar da sua ideia.