Trabalho de casa: conheça boas razões para sua empresa aderir

Deixar um comentário

Reuniões e interrupções de colegas são alguns dos vilões que atrapalham a produtividade nas empresas. É por isso que muitas companhias permitem que os colaboradores façam o trabalho de casa. Afinal, o home office permite manter maior foco nas tarefas e, de quebra, mais comodidade aos profissionais no dia a dia.

Além da produtividade, permitir o trabalho de casa ajuda na retenção e atração de talentos. Achou essa uma boa ideia? Então confira duas boas razões para aderir a esse modelo de organização em seu negócio.

trabalho de casa
Home office possibilita maior produtividade entre os profissionais. Foto: iStock, Getty Images

Por que permitir o trabalho de casa?

Se o home office é proibido em sua empresa, repensar essa condição pode trazer bons resultados. Conversamos com a especialista em home office Marina Sell Brik, autora de quatro livros sobre o tema e consultora do Instituto Trabalho Portátil, para conhecer os principais benefícios do trabalho de casa.

Aumento da produtividade

A produtividade do colaborador que faz home office aumenta entre 20% e 50%, conforme explica Marina. “No escritório, sofremos muitas pausas, que vão desde o barulho geral até o colega que interrompe para mostrar algo ou conversar. Está provado que, depois da interrupção, a pessoa leva cerca de 10 minutos para retomar a linha de pensamento”, explica.

Quando um funcionário tem maior liberdade para cumprir o seu expediente, acaba valorizando mais o tempo de trabalho e otimizando seu desempenho. Isso gera um círculo virtuoso de produtividade. “Se o colaborador tem um objetivo claro para cumprir e foco, o dia de trabalho renderá muito mais em um ambiente sem interrupções ou reuniões desnecessárias”, diz Marina.

Retenção e atração de talentos

A retenção e atração de talentos é um dos grandes desafios do setor de recursos humanos de uma empresa. Pois saiba que possibilitar o trabalho de casa pode contribuir para isso, principalmente em relação à geração Y.

“Mas não só as novas gerações: os colaboradores da geração X também exigem uma postura mais humana das empresas. Muitos estão em idade de começar uma família ou de cuidar dos pais mais velhos, ou até mesmo questionam os antigos formatos que não cabem mais em suas rotinas”, aponta. É nessa hora que surgem algumas dúvidas: “Para que ter que se deslocar todos os dias para o trabalho se ele pode ser feito de qualquer lugar? Por que não ter mais flexibilidade?”

Como avaliar a ideia

Mesmo com esses benefícios em mente, você pode estar se perguntando se o trabalho de casa é ideal para sua empresa. Então, como decidir se deve oferecer essa possibilidade? Para Marina, é preciso testar.

“Recomendo começar pequeno, fazer testes, iniciar com um piloto e depois expandir a iniciativa. Tecnologia da informação, recursos humanos e direito são áreas fundamentais a serem pesquisadas antes de implementar um programa de trabalho remoto efetivo com a equipe da empresa”, aconselha a especialista.

Isso significa que, caso você decida apostar nessa ideia, há vários detalhes a considerar. De uma maneira geral, é importante atentar para as questões tecnológicas, como as plataformas compatíveis e segurança de rede, além das trabalhistas, cuidando de aspectos como horas extras e contratos.

Para garantir que o funcionário não se disperse ainda mais em casa, a dica é trabalhar com metas, avaliações e reuniões periódicas.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas