Fleety é alternativa de economia colaborativa no trânsito

Deixar um comentário

Permitir que um mesmo carro sirva para satisfazer as necessidades de diferentes pessoas, ainda que elas não se conheçam. Foi a partir dessa ideia que em 2014 o Fleety chegou às ruas de Curitiba.

Hoje também disponível em Florianópolis e São Paulo, a empresa permite que quem está com o seu carro parado na garagem loque o veículo para alguém que precisa dele apenas por algumas horas ou dias.

Como o Fleety funciona

O serviço pode parecer com o de uma locadora tradicional de veículos, mas a marca promete algumas diferenças básicas. A primeira delas é o preço que, conforme explica André Marin, CEO do Fleety, varia entre R$ 5 e R$ 50 por hora.

Outra vantagem é a descentralização do serviço, menos burocrático na hora de fechar o aluguel. Ao mesmo tempo, a startup também destaca a mudança que pode gerar no modelo de consumo atual. Baseada em uma economia colaborativa, a ideia é que mais pessoas possam ter acesso aos carros, mas sem a necessidade de comprar um.

Fleety
O modelo é ideal para quem precisa de um carro por um curto período de tempo. Foto: Fleety, reprodução

Para alugar um automóvel no Fleety, o primeiro passo é preencher criar uma conta no site, sem esquecer do número da carteira de habilitação, que vai ser utilizado para verificar a sua situação junto ao Detran e liberar o cadastro.

Já no caso de proprietários que queiram colocar os seus veículos à disposição, é preciso informar ainda o código Renavam, que gera o histórico do veículo. Ou seja, só são liberados aqueles que não tiverem nenhum problema.

Para facilitar a comunicação, a plataforma disponibiliza um chat, em que motorista e proprietário podem conversar e combinar todos os detalhes da transação, desde os horários até a reposição de gasolina.

“Após a utilização dos serviços do Fleety, o motorista é convidado a avaliar o proprietário do veículo e as informações geram um ranking no próprio site. Dessa forma, é possível que outros motoristas consigam ter mais informações para próximas transações”, destaca Marin.

Cada locação inclui assistência 24 horas e seguro sobre roubo, morte, invalidez e colisões, o que evita que o proprietário tenha que acionar o seu próprio seguro em caso de problemas.

A história do Fleety

A história do Fleety começa ainda em 2013, quando Marin foi ao Campus Party, evento da área de tecnologia, com Israel Lot e Clayton Guimarães, hoje seus sócios na empresa. Ao olhar para o estacionamento do lugar, o CEO da startup não pode ignorar a quantidade de carros presentes.

Foi quando Lot comentou sobre o compartilhamento de carros na Itália, onde empresas privadas compravam frotas e espalhavam pelas ruas das cidades, para que as pessoas pudessem alugar.

“Vendo todos aqueles carros estacionados no evento, surgiu a ideia de fazermos o mesmo com carros que já existiam. A partir daí, estudamos a viabilidade econômica e estratégica do negócio e também pesquisamos e entendemos os princípios da mobilidade urbana e da economia colaborativa”, lembra Marin.

Como todo serviço inovador, a principal dificuldade foi romper a barreira do desconhecimento e conquistar o público. Superado esse momento, hoje os planos do Fleety estão focados na expansão para outras regiões do país.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.