Conheça a Kichink, startup que facilita a criação de uma loja virtual

Deixar um comentário

Imagine que você pode vender os artigos da sua empresa na Internet, sem se preocupar com a programação do site, o sistema de pagamento e a entrega dos produtos. Parece um sonho? Pois é justamente isso que promete a startup mexicana Kichink.

Para entender como funciona a plataforma e conhecer as expectativas da Kichink para o futuro, conversamos com Jessica Monjaraz, responsável pelo departamento de marketing da empresa. Continue a leitura e descubra como a startup fundada em 2013 se transformou na maior empresa de comércio eletrônico do México.

kichink
Fundada em 2013, empresa já faz a operação de 45 mil lojas virtuais mexicanas. Foto: iStock, Getty Images

Loja virtual gratuita é o diferencial da Kichink

Facilitar o acesso ao comércio eletrônico é o principal propósito da empresa. “A nossa promessa de valor é democratizar ferramentas de comércio eletrônico para que todos possam comprar e vender on-line de uma forma fácil e confiável”, explica Jessica.

O que a Kichink faz é oferecer uma plataforma na qual você pode hospedar a sua loja virtual. Ou seja, você usa toda a estrutura de comércio eletrônico desenvolvida pela startup para dar vida ao seu comércio online.

“Kichink é um site que hospeda todas as lojas virtuais divididas por categoria e tem um buscador de produtos, mas as lojas são autônomas. Você pode montá-las no site da empresa e até mesmo em uma fan page no Facebook”, pontua Jessica.

Isso significa que você não precisa se preocupar com o processamento do pagamento, com a entrega dos produtos ou com os aspectos técnicos do site. A complexidade fica sob responsabilidade da Kichink, que cobra apenas uma comissão de 7,5% por venda realizada. Não há custos adicionais.

Kichink permite o crescimento dos empresários

Quando o empresário não precisa se preocupar com aspectos técnicos e de logística, é possível direcionar a atenção ao que realmente importa. Assim, a equipe mantém o foco em aprimorar a qualidade dos produtos e serviços.

O resultado é “kichink”! O nome da startup faz alusão à onomatopeia da máquina registradora em operação. A lógica é simples: ao recorrer à startup para vender seus produtos na Internet, o empresário movimenta o caixa e aumenta o faturamento da companhia

Com a operação de mais de 45 mil lojas, a startup mexicana viu seu número de colaboradores saltar de seis, em 2013, para 100, em 2016. O crescimento transformou a Kichink na maior empresa de comércio eletrônico do país, e o grupo não pretende parar por aí. “Estamos planejando uma expansão para os EUA e o Chile, entre outros países”, revela Jessica.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas