Conheça 6 incubadoras brasileiras e entenda como funcionam

Deixar um comentário

Incubadoras são instituições que têm o objetivo de apoiar empreendedores com ideias inovadoras a construírem empresas de sucesso. Em geral, são entidades sem fins lucrativos vinculadas a universidades e prefeituras, que oferecem suporte de infraestrutura e gestão para tornar esses negócios mais eficientes e competitivos.

Para quem tem uma empresa nascente, procurar uma incubadora é um caminho para aperfeiçoar o modelo de negócios e gestão da companhia. Além diss, é possível reduzir substancialmente os custos como espaço, serviços básicos (limpeza e secretaria), internet, luz, telefonia, etc.

incubadoras
Incubadoras são entidades que buscam fomentar o empreendedorismo inovador através do suporte de infraestrutura e gestão. Foto: iStock, Getty Images

Um estudo realizado pela Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadoras), em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), descobriu que os serviços mais procurados por empresas incubadas são:

– ajuda na captação de financiamentos e investimentos;

– elaboração e revisão de planos de negócios;

– apoio à participação em feiras e mostras; networking;

– consultoria para desenvolvimento de novos produtos;

– pesquisa de mercado; serviços jurídicos;

– capacitação empresarial;

– assessoria de comunicação;

– assessoria para comercialização;

– design e programação visual.

Para ser incubado, a maioria das incubadoras realizam um processo de seleção. Conheça a seguir seis incubadoras brasileiras e algumas de suas características.

6 incubadoras nacionais

  1. Cietec

Instalada no campus IPEN/USP da Cidade Universitária, em São Paulo, é uma das principais incubadoras do Brasil em termos de número de empresas incubadas. Desde 1998, quando começou a operar, já teve 123 empresas graduadas. Em dezembro de 2013, contava com 109 empresas nas etapas de pré-incubação, incubação e pós-incubação. É voltada para as áreas de biotecnologia, eletrônica, medicina, saúde, meio ambiente e tecnologia da informação.

  1. Instituto Gênesis

Fundada em 1997, no Rio de Janeiro (RJ), é vinculada à PUC-RJ e voltada para as áreas tecnológica, cultural e social. Já teve 60 empresas graduadas e, atualmente, conta com 22 negócios em incubação ou pré-incubação.

  1. Inova-UFMG

Fundada em 2003, em Belo Horizonte, é vinculada à Universidade Federal de Minas Gerais. Sua atuação é voltada para áreas da tecnologia da informação, biotecnologia e química. Já apoiou 64 empresas.

  1. Celta

Foi fundada em 1986, em Florianópolis, para promover um polo tecnológico ligado à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). É voltada para as áreas de mecânica, eletrônica, tecnologia da informação, engenharia biomédica e óptica.

  1. Multi-incubadora

Fundada em 1989, em Brasília (DF), conta com duas modalidades de incubação para empresas de base tecnológica e de tecnologia social. É vinculada à Universidade de Brasília.

  1. Incubadora Tecnológica de Campina Grande

Fundada em 1984, em Campina Grande (PB), é uma das primeiras incubadoras do País. É voltada para as áreas de tecnologia da informação, biodiesel e meio ambiente.

Incubadoras brasileiras em números

A pesquisa da Anprotec apontou que, em 2011, o Brasil possuía 384 incubadoras em operação. Estes negócios ofereciam suporte para 2.640 empresa, que geravam mais de 16 mil postos de trabalho.

O estudo da Anprotec revelou também que as 2.509 empresas graduadas – que finalizaram o processo de incubação – até então pelas incubadoras brasileiras faturavam, somadas, mais de R$ 4 bilhões e empregavam cerca de 29 mil pessoas.