Ecossistema de empreendedorismo, o que é e por que devo entendê-lo?

Deixar um comentário

A Apple é uma das empresas mais conhecidas e influentes do mundo. Produtos como Ipod, Iphone, Ipad e Itunes influenciaram radicalmente o mundo dos negócios. Uma das abordagens estratégicas dessa empresa é a de construir, em seu entorno, um rico ecossistema de negócios, oferecendo condições para uma coevolução conjunta com outras organizações e pessoas. Um exemplo disso é a possibilidade que diversos programadores independentes possuem de desenvolver aplicativos que podem ser comercializados nas plataformas da Apple. Isso não só gera receita para a Apple e é uma fonte alternativa de renda para os programadores, como resulta em um grande volume de aplicativos que atendem as mais variadas necessidades de usuários do mundo todo.

Esse breve exemplo revela como, cada vez mais, a colaboração tem sido uma forma eficaz de gerar valor para os clientes, além de ser uma possibilidade de suprir a carência de competências internas das empresas e atender demandas crescentes por inovações. Empreendedores poderão se beneficiar enormemente ao ter essa visão ampliada. Ao conhecer o(s) seu(s) ecossistema(s), portas e janelas serão abertas e possibilitarão a construção de redes e parcerias com pessoas e organizações (privadas e públicas) que minimizem riscos e incertezas do negócio em fase inicial ou do lançamento de novos produtos.

Foto: Creative Commons
Foto: Creative Commons

Um pouco de teoria não faz mal a ninguém…

Para falar de ecossistemas de empreendedorismo, antes de qualquer coisa, é importante deixar claro que se tratam de dois conceitos que estão recebendo a atenção de uma gama enorme de pesquisadores e autores. E como existe uma grande variedade de opiniões a respeito, é importante nos alinharmos e partirmos dos mesmos pontos. Por isso, segue abaixo uma breve explicação sobre os principais conceitos que usaremos daqui em diante, facilitando nossos debates e diálogos.

  • Empreendedorismo

Empreendedorismo é um tema que ganhou bastante destaque nos últimos anos, devido ao grande volume de empreendimentos nascidos com a popularização da internet. Isso gerou também uma grande leva de estudos sobre o assunto. Uma das definições que melhor atende nossos requisitos é o utilizado pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM), um relatório respeitado, realizado em mais de 100 países, que contém informações sobre empreendedorismo. Adotar a definição desse relatório é importante para nos dar segurança e legitimidade. De acordo com o GEM, empreendedorismo é ”qualquer tentativa de criação de um novo negócio ou novo empreendimento, como, por exemplo, uma atividade autônoma, uma nova empresa ou a expansão de um empreendimento existente”. Em qualquer uma das situações, a iniciativa pode ser de um individuo, grupos de indivíduos ou de empresas já estabelecidas. Ou seja, nesta perspectiva, ser empreendedor está diretamente relacionado a iniciar uma atividade econômica que gere valor para os outros (clientes) e para si mesmo (empreendedor).

  • Ecossistema

O conceito de ecossistema nasceu de um autor chamado James F. Moore. Para ele, o ecossistema é uma metáfora para representar a forma como os diversos atores articulam-se entre si para produzir valor. O autor baseou-se nos conceitos de coevolução do antropólogo Gregory Bateson, que defende a existência de uma interdependência entre a evolução das espécies em ciclos intermináveis recíprocos; e no conceito do biólogo Stephen Jay Gould de que os sistemas naturais, às vezes, entram em colapso devido a mudanças em condições radicais, dando lugar a outros atores e novos ecossistemas. Moore sugere que é possível estender estes conceitos para ecossistemas de negócios.

  • Ecossistema + empreendedorismo = ecossistema de empreendedorismo

Ron Adner e Rahul Kapoor foram autores que trouxeram uma grande contribuição na junção destes dois conceitos. Para eles, ecossistemas são uma forma de explicitar os vínculos de interdependência dos atores para a criação e captura de valor. Muito desses atores são fontes importantes para que novos empreendedores obtenham recursos para maximizarem a geração de valor.

A constituição de um ecossistema de empreendedorismo é bem diversa e um ator pode estar em mais de uma ecossistema ao mesmo tempo. Podemos dividir a formatação de um ecossistema de empreendedorismo em seis conjuntos: redes informais, redes formais, o governo, apoios profissionais de serviços, serviços de acesso a capital e profissionais qualificados.

Mas por que eu devo conhecer tudo isso?

Reconhecer nossas limitações e compreender quais são os atores que podem minimizar os riscos de um negócio nascente e dividir as incertezas do ambiente é de suma importância para diminuir as chances de fracasso. Além disso, a abordagem ecossistêmica nos possibilita enxergar fora da caixa, e assim partir da colaboração para a construção de valor para os seus clientes e para você mesmo.

Na próxima publicação, discutiremos cada um desses conjuntos dando referências e mostrando como eles podem ser úteis para o ambiente empresarial. Por enquanto, sugiro que façam o seguinte exercício de reflexão: “Quem são os atores relevantes para o setor produtivo no qual atuo ou no qual pretendo atuar?”

Não se esqueçam de compartilhar conosco qual é o seu negócio e quem seriam esses atores que poderiam gerar valor junto com vocês.