BNDES oferece capital de giro a empresários paulistas

Deixar um comentário

Você tem um negócio no estado de São Paulo? Sabia que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem uma linha de crédito especial voltada a oferecer capital de giro para empresários paulistas? É o Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda (Progeren). Entenda a seguir como funciona e quem pode solicitar.

Como funciona o Progeren

O Progeren é um programa do BNDES que tem por objetivo aumentar a produção, o emprego e a massa salarial. Ele disponibiliza valores até o limite de R$ 70 milhões para cada empresário. Este valor pode ser solicitado uma vez a cada 12 meses. A exceção são as empresas do setor de construção de edifícios com contratos do Programa Proinfância para a construção de creches, cujo limite é elevado para R$ 220 milhões, e as companhias do setor sucroalcooleiro, com limite de R$ 130 milhões.

Em agosto, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, anunciou a ampliação do orçamento destinado ao Progeren para R$ 7,7 bilhões. “No Progeren,  empresário tem 60 meses para pagar, com 24 meses de carência. Portanto, dá um bom oxigênio em termos de giro para as empresas. Ele foi aberto para todos os setores da economia”, disse Coutinho na ocasião.

Incluindo a carência de 1 a 24 meses, o prazo máximo para a quitação do financiamento é de 5 anos. Para as empresas da construção de edifícios, o prazo é de até 18 meses, incluindo carência de 1 a 6 meses.

linha de crédito do BNDES para empresários paulistas
Empresários paulistas podem acessar uma vez ao ano linha de crédito no valor de até R$ 70 milhões. Foto: iStock, Getty Images

Taxas de juros

A grande vantagem do Progeren para os empresários é a possibilidade de adquirir um financiamento de capital de giro em condições melhores do que as encontradas em outras linhas de crédito.

A taxa de juros é composta por custo financeiro (Taxa Selic), mais remuneração básica do BNDES (0,4% ao ano para pequenas e micro empresas, 1,3% para médias e 2% para grandes), taxa de intermediação financeira (0,1% para micro, pequenas e médias empresa e 0,5% para grandes), e remuneração da instituição credenciada (a ser negociada pelo empresário e o banco).

Para empresas do setor de construção de edifícios, o custo financeiro é equivalente a 50% da TJLP e 50% de Taxa Selic, a remuneração básica do BNDES é de 1,2% ao ano, a taxa de intermediação é isenta e a remuneração da instituição credenciada é de 2,3%.

Como solicitar

Essa linha de crédito do BNDES está disponível para sociedades empresariais; empresários individuais inscritos no CNPJ e Registro Público de Empresas Mercantis (RPEM); sociedades cooperativas; e empresas individuais de responsabilidade limitada inscritas no RPEM. Além disso, há condições especiais para empresas dos setores sucroalcooleiro (do cultivo de cana de açúcar) e da construção de edifícios.

Para acessar acesso a esta linha é preciso contratar um banco credenciado pelo BNDES. A instituição financeira é responsável por solicitar documentação e avaliar a possibilidade de concessão do financiamento.

O banco também é responsável por negociar as garantias do empréstimo com o empresário. O BNDES informa que não é admitida como garantia a constituição de penhor de direitos creditórios decorrentes de aplicação financeira.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos nas redes sociais.