4 dicas para controlar o ciclo de caixa da sua empresa

Deixar um comentário

Para que uma empresa consiga vender a sua mercadoria, antes ela precisa de recursos para produzir e dar conta de todas as despesas operacionais. É aqui que entra um conceito decisivo para qualquer negócio: a gestão do ciclo de caixa.

O problema é que, em um mercado em que a competitividade é característica marcante, oferecer ao cliente a possibilidade de um prazo maior de pagamento pode ser o diferencial entre vender ou perder o consumidor para o concorrente.

Mas e então, como é possível manter as finanças em ordem sem perder espaço? Quem dá as dicas é Anderson Feitosa, CEO e co-fundador da Conube Contabilidade Online.

controlando o ciclo de caixa
Comprometer-se com dívidas de curto prazo é um erro comum e fata. Foto: iStock, Getty Images

Como manter o ciclo de caixa no azul

O maior perigo de conviver com um ciclo de caixa negativo é ver a empresa quebrar por não ter mais condições nem de comprar novos materiais nem de pagar fornecedores e colaboradores.

Mas se às vezes a situação é das mais críticas e só se resolve com empréstimos, em outras apenas a mudança de atitudes no dia a dia já é suficiente para dar novo ânimo ao negócio. É o caso das quatro dicas abaixo, listadas por Feitosa:

  1. Conheça os custos de operação e aprenda a negociar com fornecedores não somente o preço, mas principalmente o prazo. Se a empresa vende primeiro, recebe e depois paga o fornecedor, já deu um passo importante rumo a uma boa gestão do ciclo de caixa.
  2. Projete o fluxo de caixa do ano, levando em consideração os gastos fixos também os variáveis, assim como as receitas que fazem parte do planejamento.
  3. Considere cenários otimistas para fazer os seus cálculos de projeções, em que tudo acontece conforme o planejado, mas não deixe de lado um planejamento para cenários menos otimistas, em que as vendas não se realizam conforme o esperado e ocorre o aumento da inadimplência dos clientes.
  4. Guarde pelo menos os gastos de um mês como reserva ou, para ficar mais confortável, de três meses. Tudo considerando, é claro, os limites da empresa e a realidade em que ela está inserida.

Erros que você deve evitar

Agora que você já aprendeu como gerenciar melhor o ciclo de caixa da sua empresa, é importante ficar atento a atitudes que devem ser eliminadas da rotina. A primeira delas, explica o CEO da Conube Contabilidade Online, é realizar a expansão do negócio com recursos que possuem vencimentos de curto prazo.

“É um dos maiores erros, pois até os investimentos darem retorno a empresa pode ter se comprometido com o pagamento destas obrigações. Podemos ver o caso de um restaurante. Comprometer o caixa com reforma e aquisição de bens poderá fazer com que falte fôlego até que se comece ter clientela e lucro”, exemplifica Feitosa.

Nesse caso, o ideal é avaliar se a reforma realmente é necessária e ir em busca de um empréstimo empresarial que tenha carência de alguns meses e ofereça taxas de juros competitivas, que você possa pagar.

Também vale avaliar as possibilidades de desconto, que nem sempre são a melhor escolha, no caso de uma empresa. Comprar equipamentos em parcelas, por exemplo, pode permitir que você tenha tempo para ganhar em retorno sem ter comprometido todo o dinheiro de uma só vez.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.