Quer empreender na América Latina? Confira 3 insights fundamentais

Deixar um comentário

Adeus, patrão! Construir um negócio próprio e abandonar a vida de empregado é um sonho comum na América Latina. Seja pela promessa de uma rotina flexível, pelo desejo de ganhos financeiros elevados ou mesmo pela falta de oportunidade no mercado de trabalho, não são poucos os que cogitam virar as costas para a carreira profissional e partir para o empreendedorismo.

Mas será que essas pessoas estão preparadas para o que vão enfrentar? Neste artigo, vamos apresentar alguns insights importantes para quem deseja empreender na região. Continue a leitura e conheça o cenário do empreendedorismo na América Latina.

américa latina
Burocracia está entre os maiores desafios enfrentados pelos empreendedores latino-americanos. Foto: iStock, Getty Images

Empreendedorismo ganha força na América Latina

Publicado pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM) em 2015, o estudo “Potencial Futuro – empreendedorismo jovem 2015” revelou que 41% dos jovens da América Latina têm o desejo de empreender. Para elaborar o relatório, os pesquisadores ouviram mais de 616 mil pessoas de 89 países, com idades entre 18 e 64 anos.

Na comparação com países europeus, os jovens latino-americanos são mais favoráveis ao empreendedorismo: na Europa, apenas 19% dos jovens manifestaram a intenção de construir um negócio próprio. Entre as explicações está a característica sócio-econômica do continente: o jovem latino-americano tem o desejo de empreender para modificar a realidade em que vive.

O grande problema é que a ambição latino-americana custa a sair do papel. De acordo com o levantamento, embora quase metade dos jovens deseje empreender, apenas 5% já são empreendedores estabelecidos.

Para modificar esse cenário, alguns países resolveram criar iniciativas para incentivar o empreendedorismo na região. O Peru, por exemplo, desenvolveu um ecossistema de startups que não existia até pouco tempo atrás. O Chile tem uma aceleradora estatal referência mundial, a Startup Chile. Já a Colômbia implementou um número significativo de reformas na sua regulamentação de negócios nos últimos anos.

3 insights sobre empreendedorismo na América Latina

Anualmente, o Banco Mundial atualiza o relatório Doing Business, que avalia as regulações que 189 países impõem a pequenas e médias empresas. Os dados permitem comparar o cenário empresarial em diferentes regiões, identificando tendências, gargalos e pontos de melhoria. Com a ajuda de Laura Sagnori Diniz, analista de operações do Banco Mundial, selecionamos algumas informações importantes que o estudo traz:

1. Chile e México são os destaques da América Latina

Se você almeja construir um pequeno negócio, os países latino-americanos onde você terá mais facilidade são México e Chile. Enquanto o país do norte se destaca pela facilidade para obter crédito (5º lugar no ranking geral), os sul-americanos chamam atenção pela facilidade de obtenção de alvarás para construção, categoria em que estão à frente até mesmo de Finlândia, Estados Unidos e França.

2. Colômbia é exemplo para a região

Laura explica que a Colômbia é o país da América Latina que implementou o maior número de reformas na sua regulamentação de negócios desde o início do levantamento de dados para o relatório, há 12 anos. O destaque, segundo a especialista, fica por conta da redução de pagamentos necessários para declarar impostos: de 70 para 11.

3. Impostos são desafios no continente

E quais são os principais gargalos do cenário empresarial do continente? Para Laura, as áreas que necessitam melhoria são o registro de propriedade e pagamento de impostos. Ela explica que o tempo médio que um empresário local perde para preparar e pagar impostos é de 361 horas, enquanto a média das economias de alta renda é de 177 horas.

Nessas duas categorias, talvez a solução seja seguir o exemplo peruano. O país figura entre os primeiros colocados do continente em ambos os aspectos. É por esse motivo que os peruanos possuem, de acordo com o relatório, a terceira melhor economia do continente para os pequenos empresários.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Matérias relacionadas